Semifinalista da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o Grêmio está a dois jogos de, quem sabe, conquistar um título inédito. Na quarta-feira, o time entra em campo para enfrentar o Oeste em busca da tão desejada final. Mas, independentemente do que acontecer nesta semifinal e em uma eventual decisão, o Tricolor mostra, dentro das quatro linhas, que conta com jogadores que, no mínimo, precisam ser muito bem observados daqui em diante




Dois deles já são um pouco mais conhecidos. O volante Diego Rosa e o meia Pedro Lucas participação da seleção brasileira que conquistou o título mundial sub-17 no ano passado. O primeiro mostra que já é um jogador maduro, capaz de fazer o chamado "box-to-box" por conta de sua versatilidade. Ou seja, é um atleta ao estilo dos últimos volantes formados na base gremista. Enquanto isso, Pedro Lucas faz a função de armador, centralizado, e pode seguir os passos, por exemplo, de Jean Pyerre, um atleta extremamente clássico.



Outros três nomes também devem ganhar um olhar diferenciado.  Adriel, por exemplo, tem pinta de ser aquele goleiro "sangue frio" - e já demonstrou ter estrela. Por sua vez, Vanderson é aquele lateral-direito com ferramenta para ser um jogador que há muito tempo o Grêmio não forma - atrás e na frente, apresenta muita segurança nas suas decisões. E, por fim, o meia-atacante Rildo tem habilidade, calma e inteligência para marcar gols como o que fez contra o Vasco, no último sábado. Não se assusta na hora de concluir. Se é hora de algum deles subir para o profissional? Isso é Renato Portaluppi e sua comissão técnica que precisam decidir. Mas é bom não tirar o olho dessa meninada.


Para mais notícias do Grêmio, clique ​aqui.


Fotos: Guilherme Rodrigues / GR Press / Divulgação