O Campeonato Baiano 2020 começa na próxima quarta-feira (22) em um cenário ‘aterrorizante’ e de completa falta de interesse da Federação Baiana de Futebol, dos times, de parte da torcida e dos demais envolvidos com o torneio estadual. Atualmente, o Baianão não serve como parâmetro técnico ou tático nem como fator econômico crucial para os clubes.


A atual edição da elite do futebol do estado vai contar com dez equipes, sendo: Atlético-BA, Bahia de Feira, ​Bahia, Doce Mel, Fluminense-BA, Jacobina, Jacuipense, Juazeirense, Vitória da Conquista e Vitória. A competição vai ser disputada em três etapas: pontos corridos, semifinal e final.


As principais equipes do torneio, com mais poder de investimento, mais visibilidade e localizadas na Capital, vivem momentos distintos e muito distantes. O Rubro-Negro de Salvador brigou para não cair até a reta final da Série B do Campeonato Brasileiro, enquanto o Bahia fez uma campanha regular na Séria A, mas vai utilizar o Sub-23 no Baianão.


Vitoria v Santos - Brasileirao Series A 2014

Os tempos de grandes revelações vindas do interior e de partidas disputadas em bom nível no Campeonato Baiano parecem ter ficado para trás. Os maiores times do estado não dão a mesma atenção ao certame como em outras ocasiões. Sem premiação por título, o montante recebido da TV não compensa o risco de perder atletas importantes no início da temporada.


O Baianão é importante para os esforçados times menores, mas pouco agrega aos clubes maiores com calendário anual. A realidade é dura e a expectativa é baixa. O que resta aos torcedores é ‘torcer’ e esperar mais organização e planejamento em próximas edições de um dos maior estadual do Nordeste.