Perseverança, amor às suas cores, força de vontade. Estas são palavras que caracterizam o povo gaúcho ao longo de sua história e que, também, têm total relação com o que representa a Taça Kaiser e a valorização do futebol amador praticado no Brasil.

​Por isso, é mais do que justo que o Gaúcho, de Santa Cruz do Sul (sua sede fica no bairro Esmeralda), leve a campo a bandeira do Rio Grande do Sul na competição que apontará a principal força do momento na várzea nacional.


O clube é o caçula do torneio. Foi fundado no dia 1º de janeiro de 2019 e se garantiu na disputa ao conquistar o título da Copa Master Kaiser Afasc - na final, realizada em dezembro, superou o Bom Jesus por 3 a 1. 


​E o Gaúcho não está para brincadeira. É presidido por Erceu Ramos Oliveira, um ícone do futebol amador da região, engajado há muitos anos na causa esportiva, e tem Guilherme Spindler como técnico. O treinador levou o Bela Vista à 1ª edição da Taça Kaiser, no ano passado, e até já recebeu sondagens de equipes profissionais do Estado que disputam a divisão de acesso.


Ou seja, a estrutura possibilitou que a instituição, em seu primeiro ano, já levantasse a taça mais cobiçada da região. “Vale lembrar que entramos em campo com alguns jogadores de 35 anos, mas muitos ainda no auge físico. Dentro das nossas possibilidades, pretendemos fazer uma bela participação e dificultar ao máximo para os adversários”, diz Spindler.


​O goleiro Tigre, que já passou pelo futebol profissional, é um dos destaques do Gaúcho, assim como os meias Miltinho e Jairzinho e o zagueiro Paulão. O time pode ser novo, mas motivação não falta para fazer bonito quando a bola rolar em Belo Horizonte.