​Em um movimento de mercado que gerou surpresa em parte da opinião pública, o Barcelona ​oficializou Quique Setién, ex-Betis, como substituto para Ernesto Valverde, ​demitido na última segunda-feira (13). O contrato firmado com o experiente comandante tem validade de dois anos e meio, ou seja, até o final da temporada 2021/2022. O Barcelona, no entanto, pode ter outros planos no meio do caminho...

O clube catalão passará por novas eleições presidenciais em meados de 2021, cenário que, de acordo com a apuração do jornal espanhol 'Marca', levou a atual diretoria a criar uma brecha no contrato firmado com Quique Setién: o novo presidente eleito poderá decidir se continua ou não com os serviços do treinador para a temporada seguinte.


O objetivo da cláusula contratual é não 'atar as mãos' da próxima diretoria blaugrana, dando-lhe a possibilidade de manter ou reformular a comissão técnica sem gatilhos ou consequências negativas ao Barcelona. Não é segredo que o sonho de 'repatriar' Xavi, agora treinador, segue forte nos bastidores do clube catalão, e seu nome deve estar presente em diversas campanhas eleitorais/planos de gestão futura.

Xavier Hernandez