​Com as chegadas de Jesualdo Ferreira ao ​Santos e de Augusto Inácio ao Avaí, teremos três treinadores europeus entre os 40 em ação nas Séries A e B do futebol brasileiro, número que ainda pode aumentar, dependendo de quem assumirá o comando do ​Red Bull Bragantino. Apesar do nosso país não ser um destino muito corriqueiro para comandantes nascidos no Velho Continente, alguns deles passaram por aqui há longa data. Uns deixaram marcas positivas e boas lembranças, outros nem tanto. Confira:


Lothar Matthäus

Lothar Matthaeus

Lothar Matthäus deve uma carreira de muito sucesso como jogador, sendo um dos nomes mais importantes da história do futebol alemão e europeu, no geral. Como treinador, no entanto, não repetiu o mesmo êxito: passagens tímidas por clubes médios/pequenos do leste europeu. E no Brasil? Uma passagem relâmpago (e polêmica) pelo ​Athletico Paranaense, em 2006. 


Miguel Ángel Portugal

J. Wilstermann v Boca Juniors - Copa CONMEBOL Libertadores 2019

O espanhol de 64 anos é o atual comandante do Jorge Wilstermann, da Bolívia, e seu trabalho mais expressivo foi no Racing Santander, equipe de seu país. Em solo brasileiro, repetiu o mesmo enredo de seu antecessor nessa lista: passagem meteórica pelo Athletico Paranaense em 2014, pedindo demissão após somente 13 partidas no comando do time.


Béla Guttmann

Bela Guttmann

Nascido em 1899, o húngaro foi um verdadeiro 'desbravador' durante sua carreira como técnico. Além de times de seu país natal, treinou clubes da Áustria, Romênia, Itália, Argentina, Chipre, Uruguai, Grécia, Portugal, Suíça... e Brasil, é claro. Entre os anos de 1957 e 1958, foi o comandante do ​São Paulo, chegando a conquistar um campeonato paulista.


Paulo Bento

Gomes Bento Paulo Jorge

Atual comandante da seleção da Coréia do Sul, o treinador português de 50 anos ficou bons anos de sua carreira no Sporting de Lisboa e na Seleção de Portugal, até mudar os rumos de sua carreira e aceitar o desafio em uma equipe da nossa Série A: ​o Cruzeiro. A experiência, no entanto, terminou de modo pavoroso, após menos de três meses de trabalho. Deixou a equipe mineira na penúltima posição do Brasileirão 2016.


Sérgio Vieira

Sergio Vieira,Rafael Furlan,Fabio Nunes

Com pouco sucesso dentro das quatro linhas, o português se aposentou de forma precoce para se dedicar à função de treinador de futebol. Hoje, aos 36 anos, comanda o modesto Farense, time da Segunda Liga de Portugal. Antes disso, passou três anos (2015-17) rodando por clubes pequenos/médios do Brasil, como Guaratinguetá, Athletico, Ferroviária e América-MG.


Dori Kruschner

Nascido na Hungria em 1885, treinou clubes importantes do futebol alemão como Bayern de Munique, Nürnberg e Eintracht Frankfurt, ainda no início de sua carreira. Depois de muitos anos dedicados a outros clubes europeus (especialmente na Suíça), rumou ao Brasil para comandar o ​Flamengo. Ficou no Rubro-Negro entre os anos de 1937 e 1938, trocando de camisa no ano seguinte e assumindo o ​Botafogo.


Jorge Jesus

Jorge Jesus

Sem dúvida, o homem que revolucionou o futebol do Flamengo, 'elevou o sarrafo' para técnicos brasileiros e impulsionou esse fenômeno recente de buscas de clubes por europeus. É adorado pela exigente torcida rubro-negra pelo trabalho espetacular em seus primeiros sete meses de Gávea. Antes do Flamengo, treinou clubes grandes de seu país, como Sporting e Benfica.