​Muito se fala sobre a ​Série A ser um dos campeonatos mais equilibrados e imprevisíveis do futebol mundial, com maior variação de campeões em relação às grandes ligas europeias. Em um exercício de suposição que certamente causará debate, apontamos cinco grandes clubes do Velho Continente que, pelo momento que vivem atualmente, passariam dificuldades no nosso Brasileirão. Confira:

​​Feyenoord

Leroy Fer,Orkun Kokcu

Campeão europeu no início dos anos 70, o clube de Roterdã é uma das potências do futebol holandês, mas passa por um período de 'entressafra' e não vive seu melhor momento, sendo apenas o quinto colocado na atual edição da Eredivisie. Sua última conquista expressiva veio na temporada 2017/18, uma Copa da Holanda.


Lyon

FBL-FRA-LCUP-LYON-BREST

Após dominar o futebol francês nos anos 2000 - quando conseguiu o feito histórico do hepta consecutivo -, o Lyon perdeu força e relevância, sendo 'engolido' pela dinastia do Paris Saint-Germain. Com jovens valores em seu elenco, deu esperanças de que tornaria a ser competitivo em 2019/20, mas vem decepcionando e ocupa somente a 12ª posição da Ligue 1.


Schalke 04

Ahmed Kutucu

Sete vezes campeão alemão e vencedor de uma Copa da UEFA, o clube de Gelsenkirchen está devendo, há muitos anos, uma campanha nacional de grande impacto. Sua última conquista de relevância veio em 2010/11, na Copa da Alemanha. Apesar de revelar bons jogadores, não tem conseguido segurá-los do assédio doméstico, o que se torna um grande problema.


Arsenal

Sokratis Papastathopoulos,Lucas Torreira

Ninguém duvida ou questiona o tamanho do Arsenal, mas é fato também que o clube londrino já decepcionou bastante o seu torcedor ao longo dos últimos anos. Para esta atual temporada, o investimento em reforços foi alto, mas o desempenho esportivo segue deixando a desejar: é apenas o décimo colocado no campeonato inglês, atrás de rivais mais modestos como Crystal Palace e o recém-promovido Sheffield United. 


Milan

Krzysztof Piatek,Lucas Paqueta

Sem dúvida, o caso mais evidente de 'gigante adormecido' no Velho Continente atualmente. Segundo maior campeão da ​Champions League com sete taças, o clube rossonero passa por um período de reconstrução que já dura quase uma década. Os muitos anos como coajuvante no futebol italiano são bastante estranhos ao torcedor rubro-negro, que se habituou às glórias das décadas passadas.