​O Palmeiras adota uma postura diferente neste início de 2020. Após muitas contratações nas últimas temporadas, o Verdão iniciou o ano sem anunciar novidades para o elenco, que será comandando pelo experiente treinador Vanderlei Luxemburgo. A ausência de novidades se justifica pelo rendimento abaixo do esperado de reforços que demandaram investimentos para 2019. 

Um dos jogadores que não teve bom aproveitamento na temporada foi Carlos Eduardo. O atacante, contratado junto ao Pyramids, do Egito, ficou marcado por muitas críticas da torcida alviverde e deve ser emprestado. Na avaliação do gerente de futebol do clube, Cícero Souza, o jogador, de 23 anos, acabou abalado por muitas comparações com Bruno Henrique, do Flamengo

Enquanto Carlos Eduardo custou R$ 25 milhões aos cofres do Palmeiras, o Rubro-Negro desembolsou R$ 23 milhões, além do empréstimo de Jean Lucas, para acertar com o camisa 27, eleito um dos melhores jogadores do continente sul-americano na temporada. Ele tem feito treinos excelentes, mas também tem sofrido muito com uma manifestação pesada por parte da torcida, comparando a contratação dele com a do Bruno Henrique pelo Flamengo. Acho que esse tipo de conta ficou muito pesado para o Carlos Eduardo no ano que passou”, lamentou Cícero Souza, em entrevista à Rádio Gaúcha.


O atacante foi contratado pelo Palmeiras após ser observado desde a disputa da Série B de 2017 com a camisa do Goiás. Após um gol marcado em 20 jogos, Carlos Eduardo é visto internamente com potencial, mas pode acabar negociado. Vamos entender agora se, com as últimas movimentações de mercado, faremos alguma operação mais concreta com ele”, falou. “Se não fizermos, sabemos que, potencial, ele tem. O que precisamos é reequilibrá-lo em termos emocionais”, encerrou Cícero Souza.


Foto de capa: ​Divulgação/Palmeiras

Foto do corpo do texto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação