Turbulência, rebaixamento, reestruturação e volta às glórias. Em poucas palavras, é assim que podemos resumir a década de 2010 do ​Palmeiras. Quem fez história na Academia? Quem se consolidou como ídolo do clube? A seguir, elencamos o nosso XI ideal de jogadores que vestiram a pesada camisa alviverde ao longo dos anos de 2010/19. Confira:


Fernando Prass

FBL-LIBERTADORES-PALMEIRAS-JUNIOR

Qual atleta aceitaria deixar o seu clube, na primeira divisão, para defender outro na Série B? Pois este foi o caminho de Prass, ao deixar o Vasco para fechar com o Verdão em 2013. Com a camisa alviverde, conquistou quase tudo, sendo o grande herói do título da CdB de 2015.


Marcos Rocha

Marcos Rocha

O Verdão passeou por muitos jogadores medianos até encontrar a solução para sua lateral-direita: o experiente Marcos Rocha. Ídolo da torcida do Galo, não demorou muito para se tornar referência na Academia. Não está em seu auge, mas ainda é um dos melhores de sua posição.


Vitor Hugo

Vitor Hugo

Chegou ao Palmeiras em 2015 e se transformou em uma das engrenagens da equipe que se sagrou campeã da Copa do Brasil (2015) e do Brasileirão no ano seguinte. Retornou ao clube em 2019 e está nos planos para uma nova década vitoriosa no clube.


Gustavo Gómez

Gustavo Gomez

Está no clube há apenas um ano e meio, mas já mostrou o suficiente para adentrar esta lista. É, tecnicamente, um dos melhores jogadores a defender o Verdão nesta década, tendo encaixado imediatamente no time. Impacto imediato, impecável na campanha do título brasileiro de 2018.


Zé Roberto

Ze Roberto

Um exemplo de dedicação, disciplina, longevidade e respeito à camisa e ao esporte. Está no rol de ídolos do clube não apenas por sua contribuição dentro das quatro linhas (que foi imensa!), mas também por sua liderança nos vestiários. É o símbolo da reestruturação do Verdão.


Felipe Melo

Felipe Melo

Repatriado pelo Palmeiras em 2017, rapidamente assumiu o posto de titular. Performou em alto nível na temporada passada, sendo um dos pilares da conquista do Brasileirão. Mesmo que o destempero e aspecto disciplinar sejam um problema, é uma engrenagem importante ao time.


Marcos Assunção

Marcos Assuncao

Se há um representante do turvo início de década que mereça figurar neste time ideal, este é Marcos Assunção. Portando a camisa 20, foi o grande nome do time alviverde entre os difíceis anos de 2010/12, conduzindo-o ao título da Copa do Brasil de 2012.


Bruno Henrique

Bruno Henrique

O meio-campista chegou à Academia de Futebol com o 'peso' de ter sido jogador do arquirrival, mas não precisou de muito tempo para fazer a torcida alviverde esquecer disso. Referência técnica e líder nato, foi um dos destaques do título brasileiro de 2018.


Moisés

Moises

Nunca foi um jogador muito badalado, e talvez por isso mesmo tenha conquistado o torcedor. Sua simplicidade e regularidade o transformaram em um dos pilares do elenco alviverde entre os anos de 2016 e 2019, sendo, portanto, bicampeão brasileiro pelo clube.


Dudu

Dudu

No futebol contemporâneo, é difícil que um jogador alcance o status de unanimidade entre seus torcedores.. Dudu chegou lá, por performar em alto nível há anos. Regularidade, confiabilidade, garra e técnica... O status de maior ídolo dentro do atual elenco não veio à toa.


Gabriel Jesus

FBL-BRAZIL-PALMEIRAS-CHAPECOENSE

Cria do clube, foi promovido ao time profissional do Verdão no início de 2015. Anotou gols importantes e decisivos na campanha do título da Copa do Brasil daquele ano, mas o auge com a camisa alviverde veio no ano seguinte, no Brasileirão. Se despediu do Palmeiras ainda muito jovem, mas com a sensação de ter cumprido seu dever de ser protagonista em títulos.


Técnico: Felipão

Luiz Felipe Scolari

Conquistou a Copa do Brasil de 2012, mas o fim daquela temporada não foi dos melhores para o clube e para o treinador. Retornou em 2018 com a missão de mudar a última impressão deixada e assim o fez, conduzindo a equipe a um desempenho épico no Brasileirão.