​No início do ano, nem o mais pessimista cruzeirense ou o mais otimista torcedor rival poderia imaginar que o​ ​Cruzeiro, na época atual bicampeão da Copa do Brasil, chegaria nas últimas duas rodadas respirando por aparelhos e à espera de um milagre. Pois bem, é exatamente este o cenário que vive a Raposa. No entanto, a vitória por 1 a 0 do Corinthians sobre o Ceará, adversário direto do clube mineiro na briga contra o rebaixamento, na noite da última quarta-feira, ainda deixa uma luz no fim do túnel para o Cruzeiro e seu torcedor. 


​​Há duas rodadas atrás, o torcedor celeste parecia ter jogado a toalha após a partida contra o CSA, em que o time foi derrotado dentro de casa e se complicou de vez no ano. A vitória não veio contra o Vasco na partida seguinte, e os jogadores pareciam desolados ao sair do campo, dando a entender que não possuíam mais forças para lutar. 


De fato, pode ser que após a partida da última rodada os aparelhos que mantinham o Cruzeiro vivo quase foram desligados. No entanto, nesta rodada as esperanças foram renovadas e de qualquer maneira, com a derrota do Ceará na noite de ontem, o Cruzeiro decidirá sua vida na última rodada,​ contra o Palmeiras, em um Mineirão provavelmente entupido de torcedores. 


Neste momento, a diferença para o seu rival direto na guerra contra o rebaixamento é de dois pontos e a Raposa só depende de si para se manter na elite do Brasileirão. Caso vença o ​Grêmio em Porto Alegre nesta quinta-feira, dará um passo enorme rumo à permanência na Série A, mas como tudo no ano de 2019 para o Cruzeiro, esse jogo também não será nada fácil. 

Pedro Rocha,Matheus Henrique

Por mais que o Grêmio já esteja classificado para a Libertadores do ano que vem, e não brigue por mais nada no ano, com certeza o plantel de Renato Gaúcho não irá "pegar leve" com o time do recém chegado Adílson Batista. Fazendo com que os jogadores cruzeirenses tenham de entender o que está em jogo nesta partida, e se entreguem ao máximo para impedir que ​erros externos e internos rebaixem pela primeira vez um clube que está às vésperas de seu centenário.


Com isso, a derrota do Ceará deixa o Cruzeiro mais vivo do que nunca e renova os ânimos na Toca da Raposa. Mais uma vez no ano, o time só depende dele para salvar-se, e dessa vez, é pegar ou largar. Um vitória pode significar a permanência do clube mineiro na primeira divisão, mas uma derrota também pode ser derradeira e responsável pelas últimas pás de cal a serem jogadas num hipotético caixão cruzeirense. 

A bola rola para a partida da vida do Cruzeiro às 19h15min (de Brasília) na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, e o que acontecer hoje, provavelmente definirá o futuro de um dos maiores clubes do Brasil, nunca antes rebaixado.