​Entra rodada, sai rodada, e o ​Cruzeiro parece seguir um caminho sem volta. Na noite da última segunda-feira, o time mineiro foi até São Januário para encarar o ​Vasco, na estreia de Adilson Batista, seu novo treinador. No entanto, nem mesmo a mudança de comando foi suficiente para que em campo as coisas mudassem, e os cruzeirenses saíram com mais uma derrota: 1 a 0 para os cariocas.


Ao final do duelo, o gestor de futebol do clube, Zezé Perrella, conversou com a imprensa. Indignado com o momento atravessado pela Raposa, o dirigente não eximiu ninguém, nem ele mesmo, mas destacou que Mano Menezes e sua comissão técnica são os maiores responsáveis pela atual situação:


"O Cruzeiro pecou muito quando privilegiou a Copa do Brasil, dizendo que era o caminho mais curto para a Libertadores. O caminho mais curto para a Libertadores é o Brasileiro, até porque são oito vagas. Na Copa do Brasil só vai um. O Cruzeiro desprezou o Brasileiro. O Mano Menezes, em seis jogos, em dezoito pontos que disputou, só ganhou um. Então, se o Cruzeiro não ficar na primeira, todo mundo tem responsabilidade, até eu tenho a minha. Mas vamos olhar lá atrás, mal planejamento. A culpa da diretoria passada que concordou com isso. O Mano é um cara sensacional, mas avaliou mal, confiou muito. Em dezoito pontos fazer um?! Se tivesse feito 20%, a gente não estava aqui agora. Eu não estava aqui agora dando essa entrevista", analisou.


Na sequência, questionado se ele atribuía essa decisão à comissão técnica de ​Mano, Perrella continuou a criticar o trabalho do ex-treinador cruzeirense:


"Atribuo totalmente, porque um treinador que em dezoito pontos faz um...mas o erro dele não foi fazer um ponto em dezoito, foi ter privilegiado a Libertadores com a conivência, óbvio, da diretoria do Cruzeiro. Para prestigiar a Libertadores e a Copa do Brasil. Pensando só no dinheiro da Copa do Brasil - a diretoria - e ele pensando em ser campeão da Copa do Brasil. Abandonaram o Brasileiro, a conta chegou. Agora é rezar para não cair", concluiu o cartola.



Com 36 pontos e duas rodadas por terminar (Grêmio, fora, e Palmeiras, em casa), o clube celeste agora briga diretamente com o Ceará (38 pontos) para escapar da queda para a Série B.


Foto no texto: Bruno Haddad