​Chegamos ao final de mais uma rodada da ​Série A do Brasileirão, a de número 33. Pra variar, tivemos inúmeras marcações polêmicas e que geraram enorme debate nas redes sociais e nas mesas redondas... Vamos a algumas delas:


Supostos pênaltis em Grêmio x Flamengo

​​Abrimos logo com uma dose-dupla, vinda do duelo entre ​Grêmio e ​Flamengo em Porto Alegre. O jogo contou com dois lances parecidos, mas que tiveram sinalizações distintas da arbitragem: logo nos minutos iniciais de partida, Gabriel tentou cruzamento rasteiro pelo lado esquerdo de ataque, mas viu a bola parar no braço de Léo Moura, que deslizava no gramado na tentativa de interceptar o lance. O árbitro Raphael Claus (SP) assinalou penalidade, convertida pelo próprio camisa 9 rubro-negro. Na segunda etapa, o Tricolor Gaúcho descia pela direita e pediu pênalti pelo mesmo motivo, desta vez negado pelo apitador paulista.


Opinião da redação: De acordo com a nova orientação da arbitragem, lances de bola na mão em que o defensor está deslizando no gramado não devem ser interpretados como penalidade. Desta forma, nenhuma das duas jogadas acima citadas deveria ter ido à marca da cal.


Reclamação de pênalti em Fluminense x Atlético-MG​

​Fluminense vencia o jogo por 1 a 0 quando, em momento de grande pressão dos visitantes, o time inteiro do ​Atlético-MG reclamou de pênalti. Fábio Santos arriscou finalização firme que ia em direção ao gol de Marcos Felipe, mas o chute acabou parando nos braços do zagueiro do Tricolor Carioca, dentro da grande área. A jogada foi revista à beira do gramado pelo árbitro da partida, Leandro Pedro Vuaden (RS), que interpretou o toque como não-intencional.


Opinião da redação: Apesar da distância muito curta entre a finalização do lateral alvinegro e o marcador, o movimento do defensor tricolor se caracteriza como ampliação de área do corpo. O pênalti deveria ter sido sinalizado.


Gol anulado em Vasco x Goiás

​Em São Januário, o ​Vasc​o da Gama conquistava vitória importante por 1 a 0 sobre o ​Goiás, até que o time visitante conseguiu balançar as redes através do zagueiro Fábio Sanches. Mas a alegria esmeraldina não durou muito, tendo em vista que o lance foi para revisão do VAR e acabou sendo anulado pelo árbitro de campo, o paranaense Paulo Roberto Alves Júnior. Na interpretação do juiz, houve falta do centroavante Rafael Moura no Fredy Guarín, momentos antes da bola estufar as redes cruzmaltinas.


Opinião da redação: No lance citado, é possível perceber o volante colombiano puxando a camisa de Rafael Moura, que acabou ganhando no corpo por ser mais forte. Trata-se de uma disputa por espaço que acontece a todo momento em bolas paradas. O gol esmeraldino não deveria ter sido anulado.