A seleção brasileira que disputa o Mundial sub-17 conta com nomes para lá de promissores e que, dentro de seus clubes, são vistos como "joias". O atacante Talles Magno, que acabou se lesionando nas oitavas de final e não participa mais do torneio, já é titular no profissional do​ Vasco da Gama. O meia Reinier, que também estaria na competição não fosse o ​Flamengo 'bater pé" para não liberá-lo, também já começa a brilhar na equipe de cima do Rubro-Negro. Porém, há jogadores que, possivelmente, ganhem mais espaço em seus times a partir do ano que vem. Vamos a eles?




Kaio Jorge - Santos

Ele já tem aparições na equipe de cima, mas não de uma forma constante. Talvez o Mundial seja o chamado "pulo do gato" para que a presença do atacante no profissional se imponha.



Gabriel Veron - ​Palmeiras

O Verdão, recentemente, tem se mostrado pouco afeito a aproveitar os jovens talentos criados na sua categoria de base. Mas, como o próprio técnico Mano Menezes já disse, a tendência é de que o atacante seja observado mais de perto.



João Peglow - Internacional

O atacante do Colorado está pedindo passagem. E tudo indica que, diante da falta de grandes nomes para o setor, possa ser olhado com carinho a partir de 2020. Talento ele já mostrou que tem.



Luan Patrick - Athletico-PR

O zagueiro pode ser uma solução interna do Furacão caso algum nome do elenco acabe deixando a Arena da Baixada. O retorno de Pedro Henrique ao Corinthians, que já é cogitado, pode facilitar este processo.



Daniel Cabral - Flamengo

Quem sabe o Flamengo não aproveita o momento absolutamente mágico para dar espaço para mais um garoto no meio-campo? Daniel Cabral mostra que tem futuro.



Patryck - São Paulo

O São Paulo, nos últimos tempos, tem incorporado nomes da base em seu plantel principal. E um jogador para fazer sombra a Reinaldo na lateral esquerda, a princípio, não cairia mal. É a chance de encontrar mais alguém da chamada nova geração.


Fotos: CBF / Divulgação