Ao longo das últimas semanas, a política do ​Fluminense e seus direcionamentos envolvendo o futebol do clube estiveram no 'olho do furacão'. Através de postagens públicas em suas redes sociais oficiais, o vice-presidente Celso Barros escancarou suas divergências com Mário Bittencourt, presidente tricolor. O tema central do tumulto entre os dois dirigentes era a continuidade ou não de Marcão: enquanto Celso era a favor da demissão, Mário preferiu a manutenção do comandante. A decisão, no entanto, não ocorreu em comum acordo.


Toda esta situação colocou Marcão em uma posição desconfortável e de grande pressão, aumentando​​ ainda mais o peso do confronto contra o São Paulo. Surpreendentemente, o time das Laranjeiras teve ótima atuação e saiu do Morumbi com vitória por 2 a 0, resultado que, como destaca o ​UOL Esportes, fortaleceu o treinador tricolor e fez o vice Celso Barros perder ainda mais força política nos bastidores do clube.


Sempre em tom ameno e moderado, Marcão tentou se esquivar de polêmicas, limitando-se a falar sobre a busca pelo bem comum ao clube"A gente acompanha o futebol brasileiro há muitos anos e sabemos que estamos expostos ao resultado. Quando não acontece como imaginam, cria-se muitas especulações. Nesse caso, procurei ficar à parte e treinar minha equipe. E deixar o nosso presidente, junto do nosso vice, se resolverem. Sempre para o melhor para o Fluminense. Estou aqui sempre em busca do melhor para o nosso clube", afirmou.

Com o triunfo fora de casa, o Fluminense foi aos 34 pontos e deixou a zona da degola. Suas chances de rebaixamento diminuíram de 58% para 33%, restando apenas sete rodadas por disputar. Para saber mais sobre as probabilidades de queda de cada time, clique ​aqui.