​Mais uma rodada do Campeonato Brasileiro chegou ao fim. E foi mais uma rodada com algumas polêmicas de arbitragem. Por isso, selecionamos cinco lances que geraram discussão para análise por parte da equipe do 90min.




Gol de Luiz Adriano, do Palmeiras, contra o Vasco da Gama



Foi, certamente, o lance que gerou mais discussão na 31ª rodada do Brasileirão. O duelo em São Januário estavam empatado em 1 a 1 e já se encaminhava para o seu final quando, em uma disputa de bola no ataque, Luiz Adriano levou a melhor e conseguiu marcar o gol. O que se diz, porém, é que na dividida com Danilo Barcelos, ele não brigou pela bola, mas sim colocou seu pé na frente do adversário, e este acabou o chutando. A bola na rede foi validada, e o Verdão venceu por 2 a 1.


Opinião da redação: é um lance de interpretação. O árbitro estava bem colocado, tanto que não titubeou em validar o gol. Depois, escutou o que o VAR tinha a dizer e confirmou sua decisão. Não é uma situação absolutamente clara e, portanto, tem potencial para gerar dúvida. O árbitro agiu como deveria agir.



Pênalti para o Vasco?



No apagar das luzes do duelo entre Vasco e Palmeiras, em São Januário, o VAR chamou o árbitro Rafael Traci para analisar um possível pênalti para o time da casa. Só que ninguém entendeu...


Opinião da redação: talvez tenha sido a aparição mais bisonha do árbitro de vídeo neste Brasileirão. Não houve absolutamente nada, Traci estava de frente para o lance, e Heber Roberto Lopes, que se encontrava na análise das imagens, quis aparecer mais que os atletas. Lamentável.



Pênalti para o Fortaleza?



O Fortaleza, que perdeu para o Corinthians por 3 a 2 em Itaquera, reclama de dois possíveis pênaltis não marcados a seu favo. Um, inclusive, é na origem do lance que originaria o terceiro gol do Timão.


Opinião da redação: o lance é de pura interpretação, mas marcar pênalti seria demasia. Acertou a arbitragem..



Falta de Kannemann, do Grêmio, em lance de gol do CSA



O Grêmio era pressionado e não jogava bem, mas estava vencendo o CSA. No entanto, aos 44 minutos, o juiz marcou uma falta quase na risca da área em favor dos alagoano. Na cobrança, Rafinha deixou tudo igual. Para a sorte dos gremistas, Ronaldo Alves ainda marcaria contra nos acréscimos e daria a vitória ao Tricolor. Afinal, foi falta ou não?


Opinião da redação: Kannemann reclamou muito da marcação, mas foi falta. Ele claramente impediu a ação do rival de uma maneira a praticar o chamado antijogo. Aliás, algo que ele fez fazendo constantemente.



Expulsão de Luiz Fernando, do Botafogo, contra o Flamengo



O clássico entre Botafogo e Flamengo estava no início do segundo tempo quando, logo aos 8 minutos,Luiz Fernando foi expulso após receber o segundo cartão amarelo por falta em Bruno Henrique.


Opinião da redação: sem discussão. A expulsão foi corretíssima.