​O ​Vasco segue realizando um trabalho de recuperação no Campeonato Brasileiro da Série A de 2019. Sob o comando do experiente treinador Vanderlei Luxemburgo, a equipe ganhou força na luta contra o rebaixamento e, mesmo com a derrota de ontem (5), para o Santos, na 23ª rodada, aparece na 13ª colocação, sete pontos acima do Cruzeiro, primeiro time dentro do perigoso Z4. 

Em meio ao bom momento das categorias de base, com algumas joias já sendo aproveitadas por Luxa, como, principalmente, o atacante Talles Magno, a diretoria foi ao mercado e, nas últimas horas possíveis para inscrever jogadores no Brasileirão, acertou com o meia Felipe Ferreira e o colombiano Fredy Guarín. Já de olho no planejamento para 2020, o Vasco quer seguir seu trabalho com os garotos e já tem definido o perfil dos reforços que serão buscados.


Bruno Henrique,Talles

"Uma das coisas que temos defendido durante nossa gestão é a valorização da base. Entretanto, precisamos entender que esses garotos que sobem da base, precisam de um tempo para amadurecer. Não é qualquer um que chega e já entra jogando, como é o caso do Tales (Magno). Alguns outros, precisam de um tempo maior para se adaptar e apresentar seu verdadeiro futebol. Por isso, é importante mesclarmos a base com jogadores experientes. Em 2019, nosso investimento com salários foi bastante baixo e a ideia é que para 2020 façamos investimentos pontuais em jogadores qualificados e experientes, para mesclar com nossa base", comentou o presidente Alexandre Campello. 


"Temos o exemplo do Lucas Santos, que foi muito bem no sub-20, mas quando chegou no profissional, não conseguiu render o que se esperava. Isso não quer dizer que o jogador não vá desenvolver todo o seu talento, mas tão somente que ele precisa de um pouco mais de tempo para ser utilizado. Não podemos nos precipitar e queimar nossos atletas da base lançando eles de maneira prematura", adicionou o mandatário, em vídeo publicado pelo​ canal Atenção Vascaíno​s, do Youtube, na tarde deste domingo (6).


O mandatário ainda fez uma projeção otimista, de ter um time cada vez mais competitivo no Gigante da Colina. A expectativa, no entanto, é que os maiores investimentos no futebol fiquem para o ano de 2021, seguindo os planos de reestruturação financeira que vem sendo realizados pela atual gestão. 

"Quando assumimos e começamos a analisar a situação do Vasco, fizemos um planejamento e, desde o início, dissemos para torcida que 2018 e 2019 seriam anos difíceis, que todo nosso esforço seria concentrado na reestruturação financeira do clube, e que para esses anos não poderíamos esperar times com grandes investimentos. Na nossa avaliação, 2020 será um ano um pouco mais folgado, mas apenas em 2021 teremos uma capacidade maior de investimento. Em 2020, a ideia é investir um pouco mais do que foi investido 18 e 19, montando uma equipe mais forte, mas ainda longe do que entendemos que deveria ser o investimento do Vasco", completou Campello.


Foto de capa: Foto: Paulo Fernandes/Clube de Regatas Vasco da Gama/Divulgação