​Durante a ​convocação da seleção brasileira, na última sexta-feira, o coordenador de seleções da CBF, Juninho Paulista, deixou claro que, em 2020, não haverá disputa de jogos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro em datas Fifa, o que vai ao encontro do desejo dos clubes, que sofrem com a perda de jogadores em meio a competições. Só que, mesmo assim, os times nacionais podem ser ainda mais prejudicados com convocações. Sim, é isso mesmo que você leu.


De torcedor pra torcedor: clique ​aqui e siga o 90min no Instagram!


Fluminense v Flamengo - Brasileirao Series A 2019


Ao contrário do que aconteceu em 2019, não haverá paralisação no calendário durante a disputa de mais uma Copa América, que acontecerá entre 12 de junho e 12 de julho. Além disso, caso o Brasil se classifique para os Jogos Olímpicos de Tóquio, entre 24 de julho e 9 de agosto, novos prejuízos aparecem no horizonte. A ideia da CBF, inclusive, é levar força máxima para as duas competições - na Olimpíada, a disputa se dá com o time sub-23, que tem André Jardine no comando. Soma-se às datas citadas o período de preparação e se tem a conclusão de que em ao menos dois meses do ano as equipes podem ficar sem alguns de seus principais nomes.


Daniel Alves


“Quero colocar às pessoas que nos ouvem que existe outro lado da questão, que é o lado da seleção brasileira. Precisamos entregar desempenho e resultado, e estou tendo o máximo de bom sendo”, disse o técnico Tite. Logo no início de 2020, está prevista a disputa da Supercopa do Brasil, que reunirá o campeão brasileiro (ainda indefinido) e o da Copa do Brasil (Athletico-PR). A partida ocorrerá no dia 22 de agosto, em meio ao Torneio Pré-Olímpico. Ou seja, é possível prever baixas, como de Bruno Guimarães, do Furacão, já no começo da temporada por conta desta dificuldade em conciliar os calendários.