​O Fluminense de Oswaldo de Oliveira é bem diferente do ​Fluminense de Fernando Diniz. Se antes o Tricolor atuava em um 4-3-3, com mais homens de frente e Paulo Henrique Ganso fazendo uma função mais recuada, quase que de um volante, agora entrou em prática o tradicional 4-4-2. E o treinador, depois da vitória por 1 a 0 sobre o ​Corinthians, se mostrou satisfeito com o que viu em campo.


De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!




O Flu atuou com dois volantes de características mais defensivas (Yuri e Allan) e dois meias de articulação (Ganso e Nenê) com mais liberdade para chegarem à frente e se juntarem aos atacantes. Segundo Oswaldo, este novo modo de posicionar o meio-campo é fundamental para a engrenagem do time. “É um setor da maior importância. Não só de construção, mas também para filtrar o adversário. Quando não temos tempo de treinar adequadamente, o time sente. Mas estou feliz com o resultado, pois, apesar de todos os obstáculos, vencemos”, disse.



Ganso, que marcou o gol da vitória em um chute de longe no qual contou com a falha do goleiro Cássio, também aprovou o novo posicionamento. “Quando estou mais próximo do gol, acredito que possa criar mais chances para a equipe”, destacou. Mas, claro, faltam ajustes, como afirmou o volante Allan, um dos destaques da partida em Brasília. “É uma formação diferente. Foi a primeira vez que jogamos assim nesta temporada. Ainda temos que arrumar alguma coisinha.” Com o triunfo, o Flu terminou o primeiro turno do Campeonato Brasileiro com 18 pontos e na 16ª colocação, ou seja, fora da zona de rebaixamento. No próximo domingo, a partir das 19h, a equipe vai ao Serra Dourada enfrentar o ​Goiás.


Para mais notícias do Fluminense, clique ​aqui.