​Pareceu um roteiro de filme da Sessão da Tarde, mas de fato aconteceu. A jornada do protagonista ​Neymar, tão tortuosa quanto cinematográfica, teve um desfecho que nem o mais otimista de seus fãs poderia prever.



FBL-FRA-LIGUE1-PSG-STRASBOURG

A tarde estava complicada para o camisa 10 desde antes de a bola rolar pela Ligue 1. Seu nome foi vaiado pela torcida do PSG até quando a escalação foi divulgada no telão do estádio Parque dos Príncipes. Faixas dos torcedores também davam o tom de que a reconciliação não viria automaticamente. E no decorrer da partida contra o Strasbourg a sensação não foi muito diferente. A cada toque na bola de Ney, vaias quase gerais.


FBL-FRA-LIGUE1-PSG-STRASBOURG

O jogo foi difícil, truncado. Na defesa, ​Keylor Navas garantiu o zero no placar para os parisienses, mas na frente a bola também teimava em não entrar. O time de Thomas Tuchel tentava de tudo. Neymar, por sua vez, não deixava de chamar o jogo, mesmo vaiado. Só que o empate parecia iminente. Os acréscimos do segundo tempo já estavam surgindo quando surgiu a genialidade. O lance de craque. O gol do jogo.


Pela esquerda, Abdou Diallo cruzou na área e, entre seis defensores, Neymar emendou uma meia-bicicleta de canhota para o fundo das redes. A bola caprichosamente ainda tocou na trave antes de entrar. Explosão de alegria e vitória de 1 a 0 confirmada. 



Por muito pouco, inclusive, não saiu o segundo. Di Maria arrancou e passou para o brasileiro, que completou para o gol. Só que, com a ajuda do VAR, a arbitragem anulou, assinalando impedimento do argentino. 



O retorno que tanta gente aguardava ansiosa para saber como os personagens se comportariam saiu melhor que a encomenda. Filme digno de Oscar. Seja bem-vindo de volta ao futebol, Neymar.