​Líder do Campeonato Brasileiro e semifinalista da Libertadores com o ​Flamengo, Jorge Jesus se consagra como um dos principais técnicos do futebol brasileiro mesmo em pouquíssimo tempo no país. O estilo agressivo do português vem encantando a imensa massa rubro-negra e, de certa forma, incomodando vários comandantes de longa data por aqui. Levir Culpi, por exemplo, rasgou o verbo contra estrangeiros no Brasil em entrevista recente. 


Nos últimos dias, o jornal "O Globo" apimentou ainda mais a relação ao reproduzir uma entrevista de Jesus no ano passado, quando ainda dirigia o Al-Hilal, da Arábia Saudita, à revista francesa "So Foot"A matéria tinha as seguintes palavras do atual comandante do Flamengo: "O treinador brasileiro já foi um pouco ultrapassado em tudo que diz respeito ao treinamento. Você acha que isso acontece por quê? Porque sempre tiveram grandes jogadores e esses resolvem os problemas táticos sozinhos. Os treinadores não foram obrigados a pensar e criar ideias coletivas. E acabaram sendo ultrapassados", disse o "Mister", na ocasião. 


Cuca

As declarações de Jesus repercutiram em entrevista coletiva de Cuca, nesta quarta-feira (11), no CT do ​São Paulo. Questionado por um repórter sobre o posicionamento do português, dado o conceito correto da entrevista, o técnico do Tricolor procurou escolher bem suas palavras, até para evitar algum tipo de polêmica. Entretanto, não ficou em cima do muro ao negar que esteja ultrapassado em sua filosofia de jogo


"As coisas têm que ser divididas. Seria muito fácil eu vir aqui e rebater o que ele (Jesus) falou. Essa entrevista foi na Arábia, no ano passado. Tem muita gente pensando que ele está no Brasil falando mal do técnico brasileiro. Ele estava no Al-Hilal falando para uma TV ou um jornal francês, que divulgou agora. Acho que essa pergunta que você me faz poderia ser feita para o Jorge Jesus, agora que ele tem um conhecimento maior do futebol brasileiro e dos treinadores, ainda que não tenha enfrentado todos. Ele vai poder dizer se teve alguma dificuldade com algum time ou se os treinadores estão ultrapassados", começou Cuca. 


Jorge Jesus

"Acho que ele é um cara que tem ética profissional, tem respeito, foi muito bem recebido no Brasil por todos nós. Teve um curso na CBF, o (Vagner) Mancini me dizia agora, e todos os 20 que estavam lá o receberam de forma maravilhosa. Acho muito raro que ele venha falar isso hoje. O sentimento dele hoje não seria esse. Tem muito a se evoluir, mas não me sinto de forma alguma ultrapassado. Sigo tudo que é jogo, tudo que é treinamento", completou o técnico. 


Hoje o São Paulo tem 31 pontos, na quinta posição do Campeonato Brasileiro. A distância para o time de Jesus é de oito e, no segundo turno, o Tricolor terá que encarar o Flamengo no Maracanã. No embate do turno inicial, houve empate por 1 a 1, ainda quando o Rubro-Negro carioca era comandado por Abel Braga. Cuca prega que o objetivo do time tem que ser a regularidade para se aproximar do rival já no começo da segunda etapa do torneio. 


"Não é bater de frente com o Flamengo. O que a gente quer é uma regularidade, que a gente teve um tempo atrás e perdeu agora em três jogos. Não temos tantos jogadores em nível de Seleção, mas tenho confiança em fazer um grande segundo turno e dar uma arrancada. Nosso time é bom também", concluiu Cuca, que ganhará o retorno de vários jogadores que estão defendendo a Seleção principal e olímpica, como Daniel Alves, Antony, Walce e Igor Gomes.