​A ​primeira partida da final da Copa do Brasil, entre ​Athletico-PR e ​Internacional, tem um elemento importante a ser levado em conta: o gramado da Arena da Baixada. O campo sintético, um dos únicos do País, sempre causou preocupação aos rivais justamente por alterar um pouco a dinâmica da partida. No entanto, para a GV Group, parceria do Furacão e responsável pelo piso do estádio, o que existe é um paradigma a ser quebrado, uma vez que sempre se tenta buscar eventuais diferenças.


De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!




Na visão da empresa, o desempenho do gramado sintético é exatamente igual ao natural. A Arena da Baixada possui a mais alta certificação possível neste quesito, com parâmetros de quique da bola, impacto, velocidade e temperatura, impostos pela Fifa, sendo rigorosamente cumpridos. “Uma vez que o gramado recebe esta graduação, se comporta como gramado natural. O desempenho dele é, sim, o mesmo. O que acontece é que, quando se molha o gramado, a bola pega mais velocidade, desliza mais, tanto num campo de grama natural quanto sintético”, disse Rogério Garcia, CEO da GV Group, ao ​Uol Esporte.



A Fifa, aliás, exige que o gramado sintético seja totalmente plano, com inspeções sendo feitas periodicamente para que não existam mais de três milímetros de oscilação em um espaço de três metros de comprimento. Ou seja, sem buracos e imperfeições, o jogo pode ficar mais acelerado. Já o fato de o gramado, por vezes, parecer enlameado e sujar o uniforme dos atletas, isso se dá pelo fato de o material (base de fibra de coco) precisar ser irrigado para absorção de umidade, o que também garante redução de impacto no campo. “Quando o time não vai bem, o campo sintético é lembrado. Eu diria, ainda, que é mais ´psicológico do que técnico. Há um indicador, um número que mostra que não tem diferença. Mas na cabeça do jogador é difícil aceitar mesmo. Como se cria toda essa questão de ser mais rápido, ele entra e acha que é, fica condicionado a esse efeito”, concluiu o especialista. O Inter, antes da decisão, realizou um treino na Baixada para se adaptar ao ambiente. O duelo começa às 21h.