​Nesta quarta (11), Rogério Ceni completa um mês de trabalho à frente do ​Cruzeiro. Contratado para substituir Mano Menezes - demitido após uma série de más atuações e resultados ruins consecutivos -, o jovem treinador sabia que sua missão na Toca da Raposa não seria nada fácil, afinal, a equipe vinha de derrota na Copa do Brasil e flertava com a zona de rebaixamento no Brasileirão. Contudo, a experiência em Minas tem se revelado ainda mais desafiadora do que o esperado pelo ex-Fortaleza.


De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!

​​Como destaca o ​Globoesporte, não é errado dizer que Rogério Ceni foi 'do céu ao inferno' em apenas 31 dias no comando técnico celeste. Os primeiros dias foram pacíficos e sua contratação, ao menos a princípio, havia sido bem aceita/recebida pelo estrelado elenco. O novo ânimo com a chegada do novo comandante trouxe bons resultados iniciais: duas vitórias e um empate em três partidas, incluindo um ótimo triunfo por 2 a 0 sobre o Santos, então líder do Brasileirão. A partir daí, no entanto, a maré começou a mudar na Toca.

Fred

O que parecia ser o 'início dos sonhos' para uma história de sucesso, sofreu uma reviravolta de grandes proporções no jogo mais aguardado do ano para o Cruzeiro: a semifinal da Copa do Brasil contra o ​Internacional. Com uma atuação muito pobre, a equipe mineira foi amassada pelo adversário gaúcho, que avançou à decisão com 4 a 0 no agregado. Ao final da partida, Thiago Neves criticou publicamente as escolhas técnicas/táticas de Ceni para o duelo, declaração que iniciou um verdadeiro 'turbilhão' na Toca.


A busca do novo treinador por uma formação mais móvel e leve bateu de frente com alguns ​medalhões do elenco celeste, como Fred, Robinho, Edílson e o próprio Thiago Neves. Sem conseguir 'domar' o vestiário, Ceni viu sua equipe ser dominada pelo Grêmio no último domingo (8), goleada que culminou em um desabafo do treinador: ou ele promove mudanças, ou deixa o clube. Neste momento, a diretoria celeste parece alinhada à soberania do comandante neste momento de crise. Resta saber como será sua gestão de grupo nas próximas semanas.

Para ler mais notícias do Cruzeiro, clique ​aqui.