Na última semana, a notícia de uma extensão contratual válida por nove anos, vinda da primeira divisão do futebol espanhol, preencheu os noticiários esportivos e levantou grande curiosidade do senso comum, afinal, vínculos desse tamanho são bem incomuns no futebol. Inspirado neste caso atual - que contaremos a seguir, no item 3 desta lista -, a ​90MiN traz seis dos contratos mais longos já assinados na história do futebol mundial. Confira:

6. Alan Pardew - 8 anos

Alan Pardew

​Único treinador na lista, Alan Pardew foi contratado em 2010 pelo Newcastle, assinando vínculo de cinco anos e meio, a princípio. Acontece que seus dois primeiros anos de clube foram bem prósperos - com um quinto lugar na Premier League e vaga na Liga Europa -, feitos que levaram a diretoria dos Magpies a se antecipar e renovar seu vínculo por mais tempo, até 2020. O movimento antecipado provou-se falho, com o comandante deixando o clube ainda em 2014.


5. Lionel Messi - 9 anos

FBL-ESP-ENG-BARCELONA-ARSENAL

Altamente identificado no clube que o acolheu e apostou em seu futebol desde garoto, ​Lionel Messi dá sinais de que passará toda sua carreira no Barcelona, único clube que defendeu profissionalmente até aqui, com 32 anos. Sempre que o argentino senta à mesa para debater renovações contratuais, contratos longos são costurados entre as partes, o mais emblemático deles tendo sido assinado em 2005: nove anos, até 2014.


4. Saúl Ñíguez - 9 anos

FBL-ESP-LIGA-ALAVES-ATLETICO

Atleta do Atlético de Madrid desde os 13 anos, Saúl Ñíguez se tornou um dos grandes símbolos desta nova 'era de ouro' do clube. A confiança da diretoria colchonera em seu futebol e seu status de líder técnico do time vem desde muito, a ponto das partes terem costurado, ainda em 2017, uma extensão contratual válida por nove anos (2026).


3. Iñaki Williams - 9 anos

FBL-ESP-LIGA-BETIS-ATHLETIC

Iñaki Williams é a grande inspiração desta lista, já que o seu caso é o que ilustra o parágrafo introdutório desta publicação. Mas o que levou o centroavante de 25 anos a assinar um contrato de nove temporadas? Além de sua identificação com o Athletic Bilbao, o temor do clube basco em perdê-lo para o Manchester United, que monitorava o futebol do atacante espanhol. 


2. Denílson - 10 anos

Denilson of Real Betis in action

Visto como um dos jovens talentos de maior potencial na reta final dos anos 90, Denílson foi vendido pelo São Paulo por cifras recordes em 1998 (32 milhões de dólares). O comprador foi o Real Betis, clube espanhol que se vislumbrou à época com o talento do brasileiro. Temendo potenciais concorrentes atravessando o negócio, o clube andaluz ofereceu nada menos que DEZ ANOS de contrato para o atacante. Nem é preciso lembrar que essa história não teve final feliz, com Denílson acumulando empréstimos e deixando o Betis ainda em 2005.


Iniesta, Raúl e Iker Casillas: vitalício

Real Madrid's captain Raul Gonzalez (L)

Contratos vitalícios não são literais, obviamente. Licença poética à parte, significam (na prática) a renovação automática pelo tempo que o jogador envolvido seguisse útil ao clube em questão. Raúl e Iker Casillas, por exemplo, permaneceram no Real Madrid por longos 16 anos, deixando o Santiago Bernabéu já nas retas finais de suas respectivas carreiras. O mesmo aconteceu com Iniesta no Barcelona, mas o meia espanhol acabou rumando ao futebol japonês posteriormente.