Embora esteja irritado com a diretoria do ​Santos por causa do atraso em pagamento no direito de imagem e da dificuldade em anunciar reforços para a temporada, o técnico Jorge Sampaoli tem com o que ficar satisfeito na Vila Belmiro. No retorno ao Campeonato Brasileiro, o argentino vê o Peixe na vice-liderança da tabela, com 20 pontos, cinco atrás do Palmeiras. Seu plantel se mostra cada dia mais entrosado e um páreo duro para qualquer clube no país. 


Um dos destaques de Sampaoli na temporada é Eduardo Sasha. Após começar o ano fora dos planos do treinador, o atacante deu a volta por cima e, no Brasileirão, é o atual artilheiro, com cinco gols, junto de Gabigol, do Flamengo. A boa fase do camisa 27 fez com que aparecessem os interessados do exterior. Um clube da Turquia sondou o santista, porém a crença no bom trabalho com o técnico argentino convenceu o jogador de permanecer. 


Eduardo Sasha

Em entrevista ao jornal ​"A Tribuna", Sasha comentou sobre as especulações. "Chegou algo no início do ano, mas faltava pouco tempo para o fechamento da janela e não se confirmou". Com contrato no Santos até dezembro de 2022, o atacante se mostrou motivado em fazer história na Baixada e avisou seu empresário que não fale mais sobre sondagens ou ofertas de fora do país. 


"Nessa parada para a Copa América eu avisei ao meu empresário que estava tranquilo e, nesse momento, não quero saber de nada. Estou num grande clube e não tenho pressa para sair. Não quis ir embora em janeiro e não quero sair agora, que vivo um bom momento", declarou o jogador de 27 anos, que despontou no cenário nacional pelo Internacional. O Peixe , hoje, detém 50% dos direitos econômicos para uma eventual transferência.


A propósito, mesmo que não seja um objetivo do atleta em sair da Vila Belmiro neste momento, Sasha admitiu que sonha em jogar no futebol europeu a longo prazo. "Tenho o desejo, sim, de jogar na Europa. Todos têm. Mas tudo no seu tempo. Me mantenho focado no Santos, pois estou num grande clube e não tenho motivos para querer sair logo. Um dia, quem sabe, posso vir a jogar lá"