Após a chegada de Ramires durante a Copa América, o técnico Luiz Felipe Scolari finaliza a reformulação do elenco do ​Palmeiras com a saída de jogadores "encostados" na Academia de Futebol. Nos últimos dias, o zagueiro Juninho e o meia Alejandro Guerra se transferiram para o Bahia até o final da temporada. O lateral-direito Fabiano, outro que não será utilizado por Felipão, tem o interesse do Botafogo​. E a conta não acaba aí.


Outros atletas estão em baixa no CT da Barra Funda, entre eles o atacante Miguel Borja. Contratado a peso de ouro no início de 2017 - logo após ser o melhor jogador da Libertadores da edição anterior, quando foi campeão pelo Atlético Nacional -, o centroavante nunca correspondeu ao investimento de Leila Pereira - foram necessários cerca de 10,5 milhões de dólares (aproximadamente R$ 34 milhões na época) para trazer o colombiano, a maior contratação da história do clube. 


Miguel Borja

Em duas temporadas, Borja nunca foi unanimidade no Verdão e contribuiu "apenas" com o título do Campeonato Brasileiro do ano passado, sendo que foi reserva de Deyverson. Dessa maneira, o centroavante, que tem contrato até junho de 2021, pode também estar com os dias contados em São Paulo. Por ver o "pupilo" fora de combate no Palmeiras, Juan Pablo Pachon, empresário do jogador, estava sondando clubes dos EUA ou mesmo da Colômbia como possíveis destinos para o camisa 9.


Segundo o jornalista ​Leandro Boudakian, da Rádio Transamérica, a imprensa colombiana informa que Borja poderia ser emprestado para o Júnior Barranquilla, clube pelo qual o próprio centroavante já admitiu torcer. O time colombiano curiosamente foi adversário do Verdão nesta edição da Libertadores, com duas vitórias dos brasileiros na primeira fase. A diretoria alviverde não comenta negociações, porém, nos bastidores, a intenção é de vender o atleta em definitivo, mesmo que haja uma provável perda em relação ao investimento inicial. 


Motivo de chacota por boa parte da torcida palmeirense, Borja só foi utilizado como titular recentemente na partida de volta da Copa do Brasil diante do Sampaio Corrêa, no Allianz Parque. Em 2019, Borja soma apenas 14 partidas e três gols marcados. O atacante sequer entrou em campo até aqui no Campeonato Brasileiro, em que Felipão costuma dar oportunidade a todos do elenco.