​Após sua equipe ser goleada por 4 a 0 para o Palmeiras no Pacaembu, Sampaoli voltou a tocar no assunto de mandos de jogos do Santos na capital paulista. O treinador argentino tem se posicionado veementemente contra jogos do ​Peixe em São Paulo, usando desgaste de viagem e perda do aspecto de 'caldeirão' que há na Vila Belmiro como argumentos.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

​​Como destaca o ​Lance!, apesar do posicionamento do treinador ser apoiado por parte do elenco, o presidente José Carlos Peres rechaçou qualquer possibilidade do clube abrir mão de jogar na capital. Aos olhos do mandatário, as partidas disputadas fora da Vila Belmiro geram rendas muito superiores, receita fundamental para o clube equilibrar finanças.


"Grandes equipes ganham em qualquer lugar. Na Vila, Pacaembu, Maracanã ou Anfield. É 50% em Santos e em São Paulo, não fugiremos disso. Vamos satisfazer torcida de São Paulo, muito grande, e Santos. Se a Vila lotasse todo jogo, com 14 ou 15 mil, não precisaria jogar em São Paulo. Preciso de receita. Futebol é profissional, não temos uma grande empresa por trás que nos ajuda, então temos que jogar em São Paulo. Hoje teve 32 mil aqui. Torcida do Santos em São Paulo também tem que lotar", afirmou o mandatário.

Carlos Sanchez

Apesar do benefício não se fazer valer no aspecto esportivo - os resultados são melhores na Vila Belmiro -, o Santos tem maior média e maior faturamento atuando no Pacaembu: nove jogos disputados, com 15.500 torcedores de média e arrecadação total de R$ 4,5 milhões (aproximadamente), enquanto a Vila recebeu quatro jogos do Peixe na temporada, com 9 mil torcedores de média e bilheteria pouco superior a R$ 1,2 milhões.

Para ler mais notícias do Santos, clique ​aqui.