Depois da saída do auxiliar-técnico Sylvinho para assumir o comando do Lyon na próxima temporada, ao que tudo indica, o próximo a sair da comissão técnica da ​Seleção é o coordenador ​Edu Gaspar. Segundo o ​bl​og do Juca Kfouri, Gaspar aceitou o convite para ser o diretor de futebol do Arsenal e viajará para Londres logo após a Copa América.



Team Brazil Training Camp - Granja Comary

O preferido para assumir o cargo de Edu é Juninho Paulista. O atual diretor de desenvolvimento do futebol brasileiro é o mais cotado para preencher a vaga que será deixada em aberto. Porém, em uma nota oficial, a CBF negou estar sondando nomes, por enquanto, considerando que Gaspar está focado no cargo até a Copa América.


"(...) a CBF desmente qualquer especulação em torno de nomes para o cargo de coordenador. A entidade tem clareza das qualidades necessárias para esta posição, que unem capacidade administrativa e grande experiência dentro de campo", esclareceu a CBF.


​​

Juninho Paulista of Brazil


Essas capacidades requeridas para o cargo podem ser vistas em Juninho, que teve uma grande carreira de jogador, incluindo atuações pela Seleção Brasileira, e que atuou durante 10 anos como dirigente do Ituano. Mas, em entrevista ao ​UOL Esportes, Paulista diz estar focado em exercer seu cargo atual.



"Por enquanto, eu penso em exercer essa função (diretor de desenvolvimento). Acho que (coordenador de seleções) é um cargo diretamente relacionado ao futebol, à prática, acho que teria que pensar, claro. Não é uma situação de 'vou', na empolgação. Acho que é uma coisa de se pensar, e caso isso aconteça (saída de Edu), a intenção é ter mais ou menos o mesmo perfil (que o atual dirigente)", contou Juninho. O ex-jogador afirmou que irá estudar a possibilidade caso um proposta de Rogério Caboclo, presidente da CBF, realmente aconteça. 

FBL-COPA AMERICA-2019-BRAZIL-PRESSER


A comissão técnica se tornou protagonista desde a chegada de Tite ao comando da Seleção. A imagem do grupo sempre reunido se tornou marca de uma precisa divisão de funções que rendeu uma importância a mais para cada membro. A saída de Sylvinho e uma possível saída de Edu iniciam um processo de ​desmonte da comissão que era esperada para fazer um trabalho contínuo até a Copa de 2022, no Catar.