​Vasco da Gama divulgou em seu site oficial o balanço patrimonial de 2018. No documento, foi registrado um superávit de R$ 64,93 milhões e a diminuição da dívida do clube. Mas o documento teve ausência de informações que deixou o torcedor vascaíno intrigado. 


​​

Luan

Embora o documento seja muito detalhado, o percentual de lucro nas vendas de Paulinho e Luan não constavam. Mas Alexandre Campello, presidente do clube, esclareceu para o jornalista da Band, Lucas Pedrosa, que isso não passou de um erro de digitação. O Vasco tem percentuais dos jogadores, mais precisamente 10% de Paulinho, atualmente no Bayer, e 40% de Luan, agora no Palmeiras.


​​

Paulinho

Campello afirmou em carta aos Conselheiros que o Vasco teve o maior superávit entre o clubes brasileiros. Ele justificou o feito com o dinheiro que obteve nas vendas de jogadores, principalmente de Paulinho ao Bayer Leverkusen, da Alemanha, que colocou nos cofres do Vasco R$ 76,70 milhões, com R$ 56,6 pagos à vista. Ainda houveram as negociação de Madson de R$ 2 milhões ao Grêmio e Matheus Vital de R$ 5 milhões ao Corinthians que também foram importantes. 


O clube cruz-maltino conseguiu ainda renegociar dívidas que estavam pendentes na justiça e reduzir a folha-salarial dos jogadores, garantindo menos gastos. Esse valor, porém, não foi lucro para o clube, considerando que foi revertido para pagar as dívidas que diminuíram em R$ 93 milhões. No quesito redução de dívida, o Vasco ficou atrás apenas do São Paulo que reduziu a sua em R$ 123,4 milhões. O clube agora foca em melhorar ainda mais esses números para o próximo ano, considerando as reformas e reformulações necessárias no Vasco. 


Campello vem anunciando algumas melhorias na gestão do clube mais ainda é muito contestado pela torcida. O clima político e financeiro no Cruz-Maltino é delicado e está gerando insatisfação e revolta nos torcedores que constantemente vão aos jogos em São Januário pedir mudanças.  


Créditos foto: Foto: Paulo Fernandes/ Divulgação CRVG