Após resultados ruins consecutivos na Libertadores, a diretoria do Atlético-MG optou pela ruptura do questionado trabalho de Levir Culpi. Ainda sem oficializar um substituto​Rogério Ceni é o favorito do novo executivo de futeb​ol do clube -, o Galo tem sido comandado pelo interino Rodrigo Santana, ​que já provou ser ​bem diferente de seu antece​ssor.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

​​A mudança na comissão técnica significou sobrevida para alguns jogadores que vinham sendo pouco ou nada utilizados no elenco alvinegro. Um dos casos mais emblemáticos é o do colombiano Yimmi Chará: reserva desde o dia 27 de fevereiro, data do duelo entre Atlético-MG e Danubio (URU) pela fase prévia da ​Libertadoreso atacante ganhou a titularidade logo em sua primeira partida com o interino atleticano

Yimmi Chará

E não foi qualquer jogo, por sinal. Como destaca o ​UOL EsportesChará foi promovido por Rodrigo Santana ao time titular logo no primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro, diante do arquirrival Cruzeiro. Seguindo a lógica buscada pelo interino, de promover um time veloz e forte nos contra-ataques, é possível que o colombiano permaneça entre os titulares e continue recebendo chances, ao menos até a chegada de um novo treinador.


Contratado por US$ 6 milhões (cerca de R$ 23 milhões), Chará ainda não deslanchou com a camisa alvinegra. Ao todo, o camisa 11 soma apenas um gol e duas assistências no ano, números que serviram de justificativa a Levir para sua barração em fevereiro"Você se lembra do último gol do Chará? Pois é. Tem coisas que são simples, tem que acompanhar os números e também a produtividade. Tem jogador que não faz muito gol, mas dá assistências. Ele é um ótimo jogador. Mas ótimo jogador também fica no banco", cravou.

Para ler mais notícias do Atlético-MG, clique ​aqui.