Há exatos cinco anos, o Atlético-MG era protagonista de uma negociação que viraria um dos maiores 'memes' do futebol brasileiro contemporâneo. No dia 6 de abril de 2014, o presidente alvinegro à época, Alexandre Kalil, utilizou suas redes sociais oficiais para oficializar a contratação do atacante Anelka, atacante de longa experiência e rodagem na Europa. Como sabemos, o francês jamais vestiu a camisa alvinegra, com o suposto acerto sendo 'cancelado' pela própria diretoria atleticana com a alegação de que o atleta não havia se apresentado dentro do prazo previsto e estipulado.

Durante todo esse tempo, o centroavante permaneceu em silêncio sobre o caso, sem que tivéssemos oportunidade de conhecer sua versão. Mas nesta semana, como destaca o ​Globoesporte, Anelka abriu o jogo e concedeu uma longa explicação sobre a negociação. De acordo com o francês, seu sonho era jogador no Brasil e as conversas com o Galo estavam 95% encaminhadas, até que o 'amadorismo' de Kalil mudou a direção das tratativas.


"A transferência deu errado simplesmente porque o presidente do clube era um amador. Ele cometeu uma quantidade de erros que, normalmente, quando se é profissional e se é um grande presidente, são erros que não se comete. Primeiramente, nunca se anuncia a chegada de um jogador que ainda não assinou o contrato (...) O contrato estava praticamente feito, estava 95% certo. Tudo estava feito, só faltava 5% e aceitar as minhas condições pra que eu fosse e assinasse com o clube", contou.

FBL-IND-MUMBAI CITY

O atacante seguiu explicando quais eram suas condições à época"(...) Que eu fosse ao Brasil com meu agente, que emitissem duas passagens para que eu fosse ao Brasil (...) Eu esperei algumas horas. E depois de cerca de 10, 15 horas eu recebi uma única passagem de avião. Para mim foi uma enorme falta de respeito o fato de ele não querer que meu agente viaje para verificar tudo o que estava no contrato", cravou.


O anúncio nas redes sociais sem o contrato assinado, a convocação de coletiva de imprensa por parte de Alexandere Kalil para oficializar a chegada do jogador sem consentimento do próprio e o imbróglio das passagens teriam motivado o centroavante a desistir do acordo: "Por isso eu preferi não assinar o contrato com o Atlético-MG, já que a situação já estava mal (...) É triste, é idiota, mas é apenas a verdade. Todo o meu respeito pelos torcedores do Atlético-MG, eu realmente sinto muito. Muito respeito por vocês, brasileiros. Pelo Brasil, pela Seleção, por todos", concluiu.