Ao final da temporada passada, Jefferson se despediu oficialmente dos gramados. Os muitos anos de carreira em alto nível, ​dedicados especialmente ao Botafogo, fizeram do goleiro um dos melhores do país nas últimas duas décadas. Contudo, nem mesmo todo seu comprometimento e excelência foram suficientes para blindá-lo de uma desagradável experiência, confirmada pelo próprio arqueiro em entrevista.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

Em entrevista concedida ao programada Resenha ESPN na última sexta-feira (15), Jefferson confessou que quase ficou de fora do Campeonato Mundial Sub-20 em 2003, competição vencida pela Seleção Brasileira com belas atuações do goleiro. Como destaca o ​Globoesporte, apesar de ter participado de todo o ciclo até o principal torneio da categoria, seu nome 'misteriosamente' ficou de fora da última lista.


"Tive a oportunidade de disputar o Sul-Americano e o Pan-Americano pela sub-20. Antes da convocação para o Mundial, estava praticamente decretada quem seriam os goleiros: eu, Fernando Henrique (Fluminense) e Fabiano (Inter). Quando saiu a convocação em janeiro, eu estava certo que meu nome estava lá, mas para minha surpresa, quando vi no jornal, meu nome não estava lá. Fiquei muito chateado", contou.

Jefferson

No entanto, a Guerra no Iraque fez com que o Campeonato Mundial Sub-20 fosse adiado, de março/abril para dezembro. A mudança atingiu Jefferson em cheio: de acordo com o testemunho do arqueiro, sua desconvocação havia sido orientada por um dirigente da CBF e motivada pela cor da sua pele, mas que a saída desta pessoa no meio-tempo até a nova data da competição o recolocou nos planos da comissão técnica.


''Eu estava no banco do Max no Botafogo, na Série B. Faltando um mês para a convocação, eu nem estava esperando. Foi quando recebi uma ligação: ''E aí, está preparado para voltar à seleção? A gente ia te convocar lá atrás, só que a gente foi barrado, porque não poderia convocar goleiro negro". Me disseram que tinha uma pessoa dentro da CBF que falou que não poderia convocar. Como a pessoa saiu, eles poderiam fazer o que quisessem", revelou.