​O incêndio que vitimou fatalmente dez jovens e feriu outros três, no CT do Ninho do Urubu, terá sua apuração acirrada a partir da próxima segunda-feira (11). ​Inúmeras perguntas acerca da tragédia seguem sem resposta, principalmente no que tange a estrutura/legalidade da área que alocava os jogadores das categorias de base rubro-negras.


De acordo com o ​UOL Esportes, a investigação do incêndio está sendo tocada pela 42ª Delegacia de Polícia, que já convocou dirigentes da antiga gestão (Bandeira de Mello) e da atual gestão (Rodolfo Landim) para prestar depoimentos. Colhendo o quanto antes as declarações dos mandatários, a Polícia espera ter alguns esclarecimentos a respeito do projeto de construção do Centro de Treinamento, manutenção e estruturas provisórias do local.

Destrinchando a situação de possível irregularidade da área feita de dormitório - funcionava sem alvará da Prefeitura, sem licença do Corpo de Bombeiros e já contava com 30 autos de infração -, a Polícia tem como objetivo primário levantar as causas do incêndio (em atuação conjunta com a perícia) e apurar responsabilidades.


Sobreviventes da tragédia, funcionários do Centro de Treinamento e profissionais responsáveis pela instalação dos contêineres que alojavam os jovens da base flamenguista também podem ser convocados à depor nos próximos dias.