​A Taça Kaiser de futebol amador teve um charme todo especial. Contou com três embaixadores de puro talento. E um deles, Dadá Maravilha, acompanhou de perto a decisão deste domingo, no Couto Pereira - Vampeta e Túlio Maravilha também exerceram o mesmo papel ao longo da organização do torneio. Para premiar a sua presença, o jogo foi recheado de gols.



Ao bater os blumenauenses do Atlético Itoupava por ​6 a 0, o Trieste, de Curitiba, mostrou a sua força dentro do futebol amador brasileiro. E alegrou muito um artilheiro que se acostumou a encantar torcidas e que, ao término dos 90 minutos, fez questão de descer ao gramado em meio a uma forte chuva para premiar os atletas. “É uma máxima para mim ser reconhecido e fazer essa homenagem a esses heróis. Vencidos e vencedores são heróis iguais. Fico muito satisfeito de estar participando da alegria desse povo. E é muito bonito ver o povo alegre, o pessoal fazendo o que gosta. São todos uns guerreiros”, definiu Dadá.



Segundo ele, competições como a Taça Kaiser servem para mostrar o amor à camisa, a dignidade dos jogadores, a luta que eles têm diariamente. Aliás, no que depender dele, a presença na próxima edição do torneio já está garantida. “Vai ser certamente uma honra se houver esta possibilidade.” Por fim, sempre muito atencioso e sorridente com todos, ele não deixou de comentar o gol de voleio marcado por Marcelo Soares durante a decisão. Ao ser perguntado se ele faria algo parecido, brincou: “Não sei não, é muita categoria para Dadá”. Quem dera todos fossem Dadá Maravilha...