Sem conseguir regularizar Hernanes a tempo da estreia no estadual, o São Paulo optou por entrar em campo com Nenê entre os titulares. Com boa atuação na vitória por 4 a 1 sobre o Mirasol no último sábado (19), o jogador foi elogiado pelo técnico ​André Jardine, que já pensa em aproveitar melhor o atleta. Inicialmente, o camisa 10 seria reserva do ídolo que acaba de voltar. 


​+ Recurso do árbitro de vídeo será usado em 44 partidas de nove estaduais


- É uma boa oportunidade de elogiar o Nenê. É o tipo de dor de cabeça boa, um elenco forte. Jogadores de alto nível, os dois são. Cabe a mim encontrar um momento de tornar o São Paulo competitivo e encaixar os melhores jogadores, o que não é tão fácil. Mas esse é o trabalho que eu vou ter a partir de agora. É pensar jogo a jogo e premiar quem está no melhor momento, disse o treinador em entrevista ao ​UOL.

Jogando como um meia centralizado, sua posição preferida, Nenê distribuiu bons passes, deu assistências para os gols de Anderson Martins e Reinaldo e ainda ajudou na marcação, dando combate no meio-campo e levantando a torcida. Ficou em campo até o fim, mesmo com o placar elástico dando tranquilidade ao São Paulo no segundo tempo. 


Apesar da boa atuação, Nenê deve ser reserva na próxima rodada, quinta-feira (24), contra Novorizontino, quando Hernanes deve reestrear pelo Tricolor. 

- Hernanes já jogou algumas vezes como segundo volante, mas ele prefere jogar como um terceiro homem de meio-campo, um pouco próximo do ataque. Tem poder de finalização acima de média, com as duas pernas e cabeceio, mas ele também está disposto a ajudar. Vai caber a mim encontrar um sistema que o privilegie. Acho que em alguns momentos pode jogar mais por trás, tem qualidade para isso. Vai depender do jogo, avaliou Jardine. 


O Fluminense tentou contratar Nenê neste início de ano, mas até agora, nem o jogador e nem o São Paulo se mostraram inclinados a topar a transferência. Jardine já disse que conta com o meia para 2019 e elogiou também sua liderança no vestiário.