​Quem não gosta de uma pelada? Pois é, ela tem o seu valor! E como tem! Mas neste final de semana a “coisa” é séria. Na tarde deste sábado, a bola vai rolar no estádio Couto Pereira, em Curitiba, para as finais da Taça Kaiser de futebol de várzea. Quatro gigantes do futebol amador estarão em busca das duas vagas para a decisão. A partir das 14h30min, o Trieste, time da capital paranaense, enfrenta a Bela Vista, representante da cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul. Depois, às 17h, tem Atlético Itoupava, de Blumenau-SC, contra Mineirinho, de Belo Horizonte-MG.


De torcedor para torcedor: ​clique aqui e siga o 90min no Instagram!



Os quatro desembarcam na casa do Coritiba como campeões. Afinal, para chegarem lá precisaram vencer competições anteriores. O Trieste, que joga praticamente em casa e que pode ser considerado favorito por conta da sua estrutura comparada a de um clube profissional, ganhou a Série A do Campeonato Amador da sua cidade. Já a Bela Vista botou a faixa da Copa Kaiser Master Afasc. Por sua vez, o Mineirinho conquistou a inédita taça da Copa Corujão 2018, enquanto o Atlético Itoupava faturou a Liga Blumenauense.



Rodrigo Mancha

Com a responsabilidade de atuar em sua cidade, o diretor do Trieste, Lauro Ferro, não esconde a ansiedade. “Iremos para a competição para ganhar e bem representar o Paraná. Temos uma equipe bastante competitiva, com alguns jogadores de expressão nacional e internacional”, disse o dirigente, citando, por exemplo, o volante Rodrigo Mancha (foto ao lado, de verde), ex-Botafogo, Santos e Sport, e o lateral-esquerdo Lino, revelado pelo São Paulo e ídolo no Paok, da Grécia, onde foi bicampeão nacional:


"É um momento novo na minha vida. Estou iniciando. Não tinha muita noção do estágio que estava o futebol amador no Brasil, mas costumo dizer que não é nem várzea. É semiprofissional. Enquanto eu puder, quero estar jogando", falou Mancha em conversa com a nossa reportagem em Curitiba.


Por sua vez, para sair da primeira semifinal com a vitória, o Bela Vista tem o meia-atacante Juliano Fogaça, que foi da base do Juventude e do Inter e passou por equipes como Sinop, Avenida e Mixto, como um nome relevante. “Vamos respeitar os adversário, mas o intuito é ganhar. Temos uma espinha dorsal com 12 atletas mantidos, mais nove novidades que levaremos juntos. Misturamos jovens com experientes e apostamos nessa mescla”, destacou o técnico Guilherme Spindler.



Na outra partida, o Mineirinho aposta, por exemplo, na estrela do goleiro Gomes. Ele chega com a moral lá no alto depois de passar pela decisão da etapa regional sem ser vazado - o time venceu por 3 a 0 o São Luiz - e ser fundamental na disputa por pênaltis na semifinal. Além dele, o zagueiro Gustavo (ao lado) é considerado a voz da experiência. O lateral-esquerdo Albert deu a tônica do que vem por aí na equipe de Belo Horizonte: "A ansiedade é grande, mas vamos para cima deles".


Do lado do Atlético Itoupava, que carrega consigo um histórico importante de conquistas locais - jamais participou de competições fora de Santa Catarina -, o atacante César Negão (foto abaixo) é apontado como a principal esperança, sem contar a experiência do goleiro Danilo e do meia Luiz Fernando. “Quando fomos mais exigidos, mostramos nossa união. Inicialmente, nem pensávamos em Curitiba, mas isso agora virou um sonho para a gente. Quando vai crescendo, vai ganhando moral. A garotada se encheu de orgulho e conseguimos ser campeões. Minha equipe é jovem, mas juntamos alguns jogadores com certa bagagem”, disse o treinador Zé Milton. O goleiro reserva Rogger foi na mesma toada do professor:


"Diferente do que muitas vezes se vê no profissional, todos querem estar aqui e estão motivados para dar o melhor de si. Talvez seja a única oportunidade na vida de muitos em disputar um evento desta magnitude", apontou.



A fórmula é simples. Quem ganhar no tempo normal avança para a decisão de domingo, às 14h30min, no mesmo local. Se houver empate, o classificado será conhecido nos pênaltis. A disputa promete. Afinal, quando envolve competição, ninguém quer perder.