​Internamente, o ​Botafogo trata a qualidade de Rodrigo Aguirre como indiscutível. Porém, o jogador contratado com o apoio do “patrocinador” Felipe Neto não rendeu em campo o que dele se esperava. Agora, o uruguaio pode estar de saída do clube carioca.


De torcedor para torcedor: ​clique aqui e siga o 90min no Instagram!



Ao longo de 2018, o próprio atleta pediu para jogar no Alvinegro, que conseguiu levantar a quantia de US$ 250 mil (cerca de R$ 800 mil) para tirá-lo do Nacional-URU, onde atuava por empréstimo. Agora, Barcelona e LDU, ambos do Equador, fizeram propostas pelo atacante, que tem contrato no Rio de Janeiro até o mês de junho. O que pode facilitar o negócio é que ainda existe uma dívida de US$ 150 mil (aproximadamente R$ 535 mil) com a Udinese-ITA, dona de seus direitos econômicos, e que seria repassada à equipe que eventualmente viesse a ficar com o avante.



Rodrigo Aguirre

Para se livrar deste pagamento, o Botafogo está inclinado a aceitar uma proposta, e o próprio técnico Zé Ricardo deixou esta decisão nas mãos da diretoria. Agora, resta saber se Aguirre irá querer, ou não, uma nova transferência. A falta de sucesso com a camisa do Fogão é vista com uma consequência da dificuldade de adaptação, dele e da família, à Cidade Maravilhosa. Mesmo que seja muito amigo de Joel Carli e Gatito Fernández, estrangeiros do grupo, não conseguiu ter uma relação tão próxima com os demais companheiros. Agora, apesar de ter a possibilidade de ser dirigido por treinadores uruguaios - Guillermo Almada, do Barcelona, e Pablo Repetto, da LDU -, o fato de seu filho ter recém nascido pode pesar contra a saída.