Revelado pelo Vitória em 2013, o volante Marcelo viveu na temporada passada o melhor momento de sua carreira. A ascensão com a camisa rubro-negra chamou atenção de mercados secundários do exterior, culminando em sua negociação ao futebol israelense, mais precisamente ao Maccabi Tel Aviv. Sem se adaptar ao novo país, retornou ao Brasil via empréstimo, defendendo a camisa do ​Botafogo.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

FBL-SUDAMERICANA-AUDAX-BOTAFOGO

Apesar de projetar em 2018 um recomeço, os planos não saíram como o jogador de 24 anos sonhava. Contratado em fevereiro com status de titular, Marcelo sagrou-se campeão carioca pelo Glorioso, mas rapidamente perdeu posição pela ascensão de Jean e Gustavo Bochecha. Ao todo, disputou apenas 13 partidas com a camisa alvinegra em 2018, desempenho prejudicado por uma lesão delicada no joelho, sofrida no mês de setembro.


Entrevistado pelo ​Globoesporte, o volante detalhou como está sua recuperação pós-cirurgia, sua situação contratual com o Maccabi Tel Aviv e seu objetivo de carreira para 2019. O sonho é seguir no Brasil, apesar do vínculo com o clube de Israel.


"Fiquei muito feliz quando cheguei ao Botafogo, onde conquistamos o Campeonato Carioca mas minha passagem não foi boa. Acabei perdendo espaço e lesionando o joelho. A recuperação está muito boa. Já me sinto bem, faço tratamento todas as semanas, acredito que já esteja bem para a pré-temporada. Acredito que em fevereiro eu esteja podendo jogar. Ainda não fui procurado, mas acredito que eu permaneça no Brasil. Esse é o meu objetivo", contou.

​​