​Contratado pela Inter de Milão em meados de 2016, à época com 20 anos de idade, Gabriel Barbosa não trilhou o caminho que esperava em sua primeira temporada no futebol europeu. Relegado à reserva no clube italiano, somou poucos minutos e se envolveu em alguns episódios de indisciplina extracampo, fatores que colaboraram para que o clube nerazzurri o emprestasse ao Benfica. Em Portugal, o panorama não foi nada diferente​somando apenas cinco partidas com a camisa encarnada


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

​​Em baixa e totalmente desmotivado, o atacante viu com bons olhos a possibilidade de retornar ao Brasil, mais especificamente ao seu clube formador, o Santos. A decisão se provou acertada durante 2018, ​ano muito especial para a carreira do camisa 10. Recordes batidos, artilharias acumulada, ânimo renovado e moral elevada. Agora, com o fim do empréstimo ao clube alvinegro, é chegada a hora de Gabigol provar ao mundo que não é apenas jogador à nível doméstico, sendo a sua própria cabeça, o seu principal desafio. 

SL Benfica v Sporting Braga - Taca da Liga 2017/2018

Na Série A, Gabigol se provou de nível extraordinário, potencial titular em 20 dos 20 clubes que disputam a primeira divisão. Na Europa, o nível de competitividade é muito maior, as estruturas e hierarquias são completamente diferentes. O atleta recém-chegado, principalmente se oriundo de outro continente, tende a ser promovido muito gradualmente. Até mesmo aqueles contratados com status de fenômenos, como Vinícius Júnior no Real Madrid. A paciência é uma virtude, e Gabriel precisará tê-la para ser bem sucedido e aproveitado por lá.


Se a concorrência técnica na Inter de Milão é pesada - a equipe nerazzurri conta com jogadores talentosíssimos em seu ataque como Mauro Icardi, Ivan Perisic e Lautaro Martínez -, Gabigol certamente tem recurso para disputar titularidade em diversos clubes médios da Itália, da Inglaterra e de outros mercados fortes do continente. Não é a qualidade técnica do camisa 10 que está em discussão, mas sim sua postura. Mais disciplinado, maduro e consciente de que o tempo do futebol europeu é completamente diferente do tempo na Série A, o Menino da Vila pode prosperar fora das fronteiras tupiniquins. Só depende dele.

FC Internazionale v AS Roma - Serie A