​Ano após ano, o futebol não cansa de nos surpreender e de nos oferecer grandes reviravoltas. É por isso que nos apaixonamos tanto por este esporte. Grandes narrativas só existem com altos e baixos, superação e, no final, a glória. Aqui embaixo a gente trouxe alguns jogadores que precisaram vencer seus próprios fantasmas e deram a volta por cima.


David Beckham


WC2002-ARG-ENG-BECKHAM

Nem todo mundo se lembra, mas David Beckham tornou-se o inimigo público número um no que diz respeito à imprensa inglesa após a Copa do Mundo de 1998. Na ocasião, o camisa 7 ficou marcado pelo cartão vermelho que recebeu contra a Argentina, na partida que culminou na eliminação do time naquele mundial. Apesar do vil tratamento a que ele foi submetido, Beckham enfrentou os abusos e desfrutou das quatro melhores temporadas de sua carreira no ciclo que o levou à Copa do Mundo de 2002, ganhando inúmeros troféus com o Manchester United, incluindo a Champions League. E foi justo contra os argentinos que veio o ápice da redenção, ao fazer o gol da vitória na fase de grupos da Coréia e do Japão.


Ronaldo 

Claudio Villa Archive


Por falar em Copa do Mundo de 2002, é bom recordar que quase ninguém acreditava que Ronaldo conseguiria voltar a jogar em alto nível naquela época. Após graves lesões no joelho, poucos apostavam que o atacante voltaria a ser o Fenômeno que todos conheciam. Felipão confiou totalmente no camisa 9 e deu tempo para sua recuperação com a Amarelinha. O resultado desse renascimento todos conhecem: a quinta estrela na camisa da Seleção e o afastamento de vez do trauma da derrota de 1998. 


Washington


Fluminense v Guarani -Serie A


O apelido de "Coração Valente" não é à toa. Afinal, quando ainda despontava como um artilheiro do primeiro escalão do Brasil pela Ponte Preta, o centroavante descobriu um problema cardíaco que o fez parar de jogar por um tempo considerável. Depois de muitos exames e precauções em demasia, Washington acertou com o Atlético-PR. Em 2004, se tornou o maior goleador do Brasileirão numa só edição (34 gols), recorde que perdura até hoje. Depois, no último ano da carreira, ainda se sagrou campeão brasileiro com o Fluminense, em 2010. Voltou para vencer os próprios medos e conseguiu fechar com chave de ouro.


Dunga 


FUSSBALL: WORLD CUP 1994

O capitão do tetra percorreu longa caminhada, de muita pressão e muitos questionamentos, entre as Copas de 1990 e 1994. Ao ser pego como o símbolo da derrota no mundial da Itália, dando nome inclusive a uma "era", o volante precisou lutar contra tudo isso para capitanear o escrete canarinho ao título. Na hora de erguer o troféu, Dunga mostrou o desabafo entalado por tanto tempo.


Alan Ruschel 

Vasco da Gama v Chapecoense - Brasileirao Series A 2017

Um dos raros sobreviventes da tragédia que assolou o planeta em novembro de 2016, a sua força de vontade ao retornar para o campo de jogo impressiona e inspira a todos. Menos de dois anos depois, o lateral-esquerdo já é opção habitual para o técnico Guto Ferreira na Chapecoense. Voltar a jogar, depois de tudo, já é por si só uma grande vitória.


Neymar

FBL-OLY-RIO-2016-MEN-BRA-GER

Neymar é o tipo de atleta que mal superou um fantasma e já tem que lidar com outro. Se em 2016 ele deu a volta por cima com a medalha de ouro olímpica e afastou de vez a derrota para o México quatro anos antes, agora terá um ciclo inteiro pela frente até a disputa do Catar para esquecer tudo que aconteceu na Copa do Mundo da Rússia. A gente torce para que consiga novamente...


Este artigo foi trazido a você por A Freira - nos cinemas em setembro.

Confira o trailer abaixo: