​Pedido atendido e nada de troca. Por solicitação dos clubes, a final do Campeonato Mineiro terá árbitro de fora do Estado. Pois, mesmo depois de ver este desejo sendo acatado, o Cruzeiro reclamou no nome indicado pela Confederação Brasileira de Futebol. Mas terá que “engolir o choro”. A entidade descartou qualquer alteração na escala para o primeiro duelo contra o Atlético-MG, domingo, no Independência.



Dewson Freitas, do Pará, trabalhará no clássico mesmo com a discordância da Raposa. Ele ganhou o sorteio de Elmo Resende (GO). Apesar da discordância, Coronel Marinho, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, fez questão de lembrar o status adquirido pelo juiz. “Nós indicamos os nomes, o sorteio foi feito pela Federação Mineira. A partir de agora, se houver algum problema, é com eles lá. Mas não dá para mudar. Fizemos a nossa parte. E o Dewson é um árbitro Fifa. Não há o que reclamar”, disse ele ao ​Uol Esporte.



O Cruzeiro tem objeção a Dewson desde agosto de 2016. Na ocasião, durante jogo contra o Corinthians pelo Brasileirão (empate em 1 a 1), a diretoria reclamou de um suposto pênalti não marcado do goleiro Cássio no centroavante Ábila, que inclusive sofreu um corte na perna. O clube realizou um protesto formal junto à CBF, e o árbitro ficou 22 dias na “geladeira”.