​Dois jogadores conhecidos no cenário do futebol brasileiro e assessorados pela mesma empresa (a OTB Sports) passam por um problema semelhante: tentam se desvencilhar de seus clubes formadores por meio de uma ação judicial. Os casos de Zeca, ex-Santos, e Gustavo Scarpa, ex-Fluminense, são parecidos, mas é justamente uma pequena diferença que dá tranquilidade ao Palmeiras sobre um final feliz com o meia-atacante.

Na última quinta-feira, ​a liminar que liberava Gustavo Scarpa do vínculo com o Fluminense foi derrubada. Com isso, o atleta não pertence mais ao Palmeiras e não estará à disposição do técnico Roger Machado para enfrentar o Novorizontino neste sábado. Para a diretoria alviverde e o estafe do meia, porém, é apenas uma questão de tempo até a situação ser revertida.


FBL-LIBERTADORES-SANTOS-PARANAENSE

De acordo com o site ​UOL Esporte, a grande diferença entre os casos de Zeca e Scarpa é que o Fluminense em nenhum momento negou a dívida com o jogador. Ambos os atletas alegaram na Justiça o atraso do FGTS e outros encargos para tentar a rescisão, mas somente o meia-atacante conseguiu a liberação. O lateral teve seu pedido negado e recorreu, então, ao seu direito constitucional de exercer a profissão onde quisesse.


Ou seja, enquanto o Fluminense praticamente admitiu que descumpriu o contrato com o jogador, o Santos não reconheceu o mesmo tipo de cenário em relação a Zeca. Tanto é que, enquanto Gustavo Scarpa assinou com o Palmeiras, o lateral esteve perto de fechar com Flamengo e Corinthians, mas a insegurança jurídica fez os clubes recuarem.


(Foto de capa: Divulgação/Palmeiras)

​​