Futebol brasileiro

6 jogadores que estão sem espaço e deveriam mudar de ares

Antonio Mota
Rei da América nos tempos de Grêmio, Luan não deslanchou no Corinthians
Rei da América nos tempos de Grêmio, Luan não deslanchou no Corinthians / Alexandre Schneider/GettyImages
facebooktwitterreddit

Após anos de sucesso no Grêmio, onde inclusive foi campeão da Libertadores e ganhou oportunidade na Seleção Brasileira, Luan se transferiu para o Corinthians em dezembro de 2019, para tentar reencontrar o futebol que o levou a ser o “Rei da América”, em 2017, e jogar no time do coração. A expectativa, no entanto, não se confirmou e, desde então, o meia-atacante é mais coadjuvante do que protagonista na Neo Química Arena.

Nesta temporada, por exemplo, o camisa 7 atuou em apenas três partidas, com um total de 103 minutos em campo. Além disso, ele ainda não foi utilizado pelo técnico Vítor Pereira. Seria um bom momento para uma nova mudança de ares? A seguir, veja 6 jogadores que estão sem espaço e deveriam procurar novas aventuras.  

1. Luan – Corinthians

Luan atacante Corinthians
Camisa 7 tem apenas nove gols em 78 jogos pelo time do Parque São Jorge / Alexandre Schneider/GettyImages

Reforço do Corinthians para 2020, o jogador desembarcou em São Paulo com o objetivo de recuperar o prestígio alcançado em outros momentos da carreira, sobretudo nos tempos de Grêmio. Contudo, o meia-atacante não jamais se firmou no clube paulista e quase sempre foi tratado como uma opção. Ele tem contrato até o fim do ano que vem, mas com o nome em baixa e muito questionado, poderia ser negociado para ganhar mais minutos em campo.

2. Igor Gomes – São Paulo

Ele surgiu em Cotia como um nome muito promissor e de qualidade acima da média, sendo até comparado ao ex-jogador Kaká, também revelado no Tricolor do Morumbi. Contudo, o atual meio-campista do São Paulo ainda não conseguiu entregar o esperado no profissional e há anos convive com dúvidas e questionamentos no Morumbi. Inclusive, foi vaiado pelos são-paulinos ao ser substituído contra o São Bernardo. Após a partida o técnico Rogério Ceni defendeu o atleta de 23 anos, dizendo que ele faz "o trabalho sujo", mas admitiu que o jogador poderia simplificar mais em alguns lances.

3. Deyverson – Palmeiras

FBL-LIBERTADORES-PALMEIRAS-FLAMENGO
Atacante vive altos e baixos no Palmeiras / JUAN MABROMATA/GettyImages

Nem mesmo o gol do título da Libertadores segurou o camisa 9 no Verdão. Ele queria continuar no Palmeiras, mas isso não vai acontecer. “Está no fim do seu contrato, um ciclo que está terminando. Ele sabe disso porque o clube já o informou”, revelou o técnico Abel Ferreira, em entrevista após o empate contra o Red Bull Bragantino, pelo Campeonato Paulista. Feliz ou não com a saída do Allianz Parque, o atacante deve escolher bem seu novo clube, pois está claro que atualmente não é prioridade na equipe.

4. Renê – Flamengo

Apesar dos bons momentos que já passou no Rio de Janeiro, o lateral-esquerdo nunca foi uma unanimidade no Flamengo. Aos 29 anos, ele vem perdendo cada vez mais espaço na equipe e, além disso, é quase sempre questionado e criticado pela torcida quando entra em campo. Um atleta que cairia bem em alguns times do Brasil.

5. Ivonei – Santos

Ivonei Santos Mercado Futebol
Ivonei não entra em campo desde o final de 2021 / Guilherme Dionizio/Código19/Gazeta Press

Formado no próprio Santos, o atleta de 19 anos ainda não conseguiu conquistar espaço na Vila Belmiro. O atacante tem potencial, mas parece “travado” no Peixe. Com isso, ele poderia aproveitar o seu talento em outro clube, onde buscaria engatar uma sequência em campo. O Menino da Vila não atua desde setembro do ano passado, quando entrou em campo contra o Ceará, pelo Campeonato Brasileiro. Ou seja, é muito tempo ‘de molho’. Uma alternativa pode ser uma troca ou empréstimo, visto que tem contrato até julho de 2025.

6. Marlon – Fluminense

O lateral-esquerdo que voltou ao Fluminense em 2021 após passagem pelo futebol europeu fez apenas 13 partidas desde que retornou ao país natal. Com os novos reforços e a chegada de Abel Braga, ele foi praticamente escanteado e não jogou um minuto sequer em 2022. Hoje é a terceira opção no setor. Se quiser dar saltos mais altos, o defensor vai ter que encontrar uma equipe para somar mais minutos dentro das quatro linhas.

facebooktwitterreddit