6 duplas que mereciam maior reconhecimento na história do futebol

Maria Eduarda Panizzi
SOC-COPA AMERICA-COLOMBIA-BRAZIL
SOC-COPA AMERICA-COLOMBIA-BRAZIL / OMAR TORRES/Getty Images
facebooktwitterreddit

A seguir, confira a lista das 6 duplas que marcaram época em seus clubes e mereciam mais reconhecimento na história do futebol:

Dunga e Mauro Silva

1994 WORLD CUP FINAL
1994 WORLD CUP FINAL / Inpho Photography/Getty Images

Um dos grandes destaques do Mundial, a dupla Mauro Silva e Dunga foi um dos pilares para o bom funcionamento da Seleção Brasileira. Mauro Silva jogou todas as partidas como titular já em sua estreia na Copa do Mundo. O volante concedeu uma reportagem a CBF e destacou como gostava de jogar ao lado de Dunga:

"Dunga foi a melhor dupla com quem joguei. Acho que ganhar uma Copa juntos, depois de 24 anos, consolida o trabalho. É importante a gente lembrar do discurso do Parreira antes da Copa. O Ricardo Rocha estreou na Copa, mas se machucou logo no primeiro jogo e saiu. Tivemos uma postura um pouco mais defensiva até porque, a partir do segundo jogo, atuamos na Copa com uma dupla de zaga inédita. E foram muito bem! Mas os titulares acabaram se contundindo. Isso também gerava uma preocupação inicial de que os volantes, no meu caso, estivessem mais próximos aos dois zagueiros" , disse.

Paulo Nunes e Jardel

Brazilian Gremio strikers Paulo Nunes (L) and Jard
Brazilian Gremio strikers Paulo Nunes (L) and Jard / YOSHIKAZU TSUNO/Getty Images

De um lado, um atacante de corpo forte, um senso de posicionamento invejável e uma incrível capacidade de cabecear e balançar as redes. Por outro, um atacante rápido, ousado, inteligente e com boa capacidade de derrotar os goleiros adversários. Você pode até procurar, mas, nos últimos anos do futebol brasileiro, dificilmente se encontra uma dupla com um ataque mais completo que o Jardel e Paulo Nunes no Grêmio. Juntos, a dupla foi bicampeã gaúcha, campeã da Libertadores e também da Recopa Sul-Americana entre 1995 e1996. Na primeira temporada atuando lado a lado, por exemplo, somaram impressionantes 65 gols.

Edinho e Tinga

Internacional's Paulo Cesar Tinga celebr
Internacional's Paulo Cesar Tinga celebr / JEFFERSON BERNARDES/Getty Images

Edinho e Tinga fizeram parte do grupo colorado que venceu a inédita Libertadores de 2006. O título foi conquistado pelo Colorado em cima do São Paulo. O Inter chegou a final com apenas uma derrota na competição.

Quando Edinho atuava pelo Grêmio, adorava alfinetar o seu ex-clube. Em 2015, garantiu que o 5×0 aplicado pelo tricolor no Gre-Nal foi a sua maior conquista na carreira, ignorando o próprio título mundial sobre o Barcelona vencido com o Inter em 2006. Em contrapartida, Tinga, que foi revelado pelo Grêmio, diz que o clube tricolor mora em seu coração, mas ressalta que seu lugar sempre foi o Beira-Rio.

Gattuso e Ambrosini

AS Bari v AC Milan - Serie A
AS Bari v AC Milan - Serie A / Maurizio Lagana/Getty Images

Considerado um dos maiores ídolos da história do Milan, Ambrosini conquistou o Campeonato Italiano em quatro ocasiões, duas Ligas dos Campeões, um Mundial de Clubes e uma Copa da Itália. Quando jogador, costumava cometer muitas faltas por causa da sua forte marcação. No entanto, compensava com um bom passe, excelentes lançamentos e dribles precisos. Seu parceiro, Gennaro Gattuso, era símbolo de raça e imagem típica de um italiano calabrês. Gattuso era um daqueles jogadores que tratam cada lance como se valesse um prato de comida. Juntos, eles formaram com Andrea Pirlo uma trinca de volantes imponente para ganhar a orelhuda na edição 2006-07 em cima Liverpool, em Atenas.

Marco Reus e Robert Lewandowski

Borussia Dortmund v FC Bayern Muenchen - UEFA Champions League Final
Borussia Dortmund v FC Bayern Muenchen - UEFA Champions League Final / Alex Grimm/Getty Images

Lewandowski e Reus formavam uma dupla imbatível no Boussia Dortmund na temporada 2012/13. Juntos de Götze, levaram o Borussia à final da Champions League após uma semi-final contra o poderoso Real Madrid, onde venceram de 4 a 1 em casa (com 4 gols do Lewandowski) e perderam de 2 a 0 na Espanha, com o placar de 4 a 3 no agregado. O trio do Dortmund iria enfrentar o Bayern de Munique, infelizmente ficou no quase, porém esse trio é lembrado até hoje pelos seus feitos. O trio foi desfeito pela venda de Mario Götze ao Bayern de Munique e, na temporada seguinte, Robert Lewandowski se uniu também a equipe de Munique. Marco Reus continua, até hoje, na equipe do Borussia Dortmund.

Bergkamp e Henry

Arsenal v Watford - The Emirates FA Cup Sixth Round
Arsenal v Watford - The Emirates FA Cup Sixth Round / Catherine Ivill - AMA/Getty Images


Dennis Bergkamp, um holandês de técnica apuradíssima e inteligência muito acima da média.
Thierry Henry, um francês rápido, habilidoso e exímio definidor. Juntos, uma das duplas mais importantes da história do Arsenal, da Inglaterra. Os dois se completaram e conduziram os Gunners a um dos feitos mais incríveis do século: um título invicto da disputada Premier League, feito difícil de ser igualado. Além do troféu, a genialidade da dupla marcou uma época com a camisa do clube londrino.

facebooktwitterreddit