6 coisas das quais o torcedor do Grêmio quer matar logo a saudade

Renato Gaucho
Lucas Uebel/Getty Images

Vem, futebol. Depois de mais de quatro meses, a bola vai voltar rolar no Rio Grande do Sul. Mesmo que sem público, o Campeonato Gaúcho dará as caras em menos de duas semanas. E a hora é de elencar seis situações das quais o torcedor do Grêmio quer, logo, matar as saudades.

1. A arte do Cebolinha

Eveton
Alexandre Schneider/Getty Images

Everton é, de longe, o principal jogador do Grêmio. Pois enquanto não é vendido, os gremistas querem se deliciar com o seu futebol envolvente. Afinal, pode ser por pouco tempo.

2. A afinidade da dupla de zaga

Walter Kannemann, Geromel
Amilcar Orfali/Getty Images

Pedro Geromel e Walter Kannemann formam uma dupla perfeita. O primeiro com a sua liderança e o segundo com a sua garra precisam voltar a mostrar quem manda dentro da área.

3. A maestria de um camisa 10

Jean Pyerre, Joao Paulo
Lucas Uebel/Getty Images

Por muito tempo, Jean Pyerre ficou de fora do time do Grêmio. Pois ele se recuperou de lesão e logo veio a pandemia de coronavírus para impedir uma sequência. Agora, se tudo der certo, Renato Portaluppi terá novamente um articulador clássico, capaz de desequilibrar.

4. As entrevistas de Renato

Renato Gaucho
Alexandre Schneider/Getty Images

"Eu tenho um grupo", "eu protejo meu grupo", "meu grupo é maravilhoso". Até das exaltações de Renato Portaluppi a seu elenco a cada entrevista a torcida está com saudades, mesmo que não concorde que o grupo seja lá essas coisas.

5. A presença dos renegados

Andre, Manoel
Lucas Uebel/Getty Images

A saudades do futebol é tanta que nem o fato de o goleiro Paulo Victor e o centroavante André ainda estarem no grupo tricolor incomoda. Aliás, se para ter bola rolando eles precisassem estar em campo, muitos possivelmente fechariam acordo na hora.

6. A falta de cruzamentos do Cortez

Bruno Cortez
Lucas Uebel/Getty Images

Se Caio Henrique foi embora, Bruno Cortez volta a ser titular da lateral esquerda do Grêmio. Os cruzamentos quase sempre sem qualidade foram marcas negativas do atleta nos últimos anos. Mas quem liga para isso? Que o futebol volte mesmo assim...