​O que Gabriel Vasconcelos tem em comum com Guilherme Arana, Pedro Henrique, Pedrinho, Léo Príncipe, Carlinhos e Leo Santos? Resposta: atuou ao lado de todos na base do Corinthians. E o que ele tem de diferente? Resposta: acabou não vingando entre os profissionais e precisa correr atrás de uma nova chance.


Artilheiro da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2015, o jogador subiu para a equipe principal no mesmo ano. Sem ser aproveitado pelo técnico Tite, o agora atacante de lado (antes era centroavante) está emprestado ao Oeste para a disputa da Série B - até o momento, marcou apenas um gol. Também já passou por Joinville e América-RJ. Com contrato até dezembro de 2018, vislumbra um retorno ao Timão.



Aos 21 anos, ele vê o clube em um outro momento, agora, sabendo aproveitar mais os jovens que surgem ali dentro. "Eu subi em um ano errado no Corinthians, podemos assim dizer. Naquele time só tinha estrelas no sistema ofensivo: Sheik, Guerreiro, Renato Augusto, Jadson, Vagner Love. Era muito difícil ter espaço naquele grupo”, disse Gabriel, em contato com o ​Uol. Embora não se diga arrependido por ter ido atrás de “novos desafios”, o avante tem consciência de que, se tivesse ficado mais um tempo, talvez pudesse estar em outro estágio da carreira. “Paciência”, completou.


Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians


​​