​Quando se diz que o futebol extrapola as quatro linhas...nada da perda de um título, ou uma má atuação. Para um dos grandes ídolos da história da Inter de Milão, a maior derrota da vida foi não ter conseguido salvar um colega de clube e amigo da depressão. Estamos falando de Javier Zanetti e sua relação com Adriano Imperador.



Em entrevista ao ​TuttoMercato, o argentino e hoje dirigente da equipe italiana acreditou que, por um momento, estivesse diante de um novo Ronaldo Nazário. Tudo graças a um gol marcado contra o Real Madrid, em 2001. Só que, três anos depois, tudo mudou. “Quando ele recebeu o telefonema sobre a morte do seu pai (2004), nós estávamos no quarto. Ele bateu o telefone e começou a gritar de um jeito que ninguém poderia imaginar. Isso me arrepia ainda hoje", disse.


Adriano Arrives at Corinthians


A partir daquele momento, passou a tratar Adriano como um irmão mais novo. Mas nunca mais foi o mesmo. "Nós não fomos capazes de tirá-lo do túnel da depressão. Essa foi minha maior derrota, eu me senti impotente", concluiu Zanetti. Aos 35 anos, o Imperador está sem clube e vive no Rio de Janeiro. Aquele que poderia vir a ser o melhor atacante do mundo acabou afetado pela frágil estrutura emocional.