Um gol aos 39 minutos do segundo tempo acabou com o sonho do Palmeiras de voltar a conquistar a Copa do Brasil. Depois de sair na frente, já no segundo tempo, o Verdão vinha administrando bem o jogo até os minutos finais, quando o lateral Diogo Barbosa surpreendeu e apareceu na área como um centroavante para marcar para o Cruzeiro.


Diogo Barbosa Cruzeiro 2017


Após o apito final, o técnico Cuca não escondeu que a eliminação foi um baque forte. Para o comandante alviverde, faltou um pouco de maturidade ao time nos últimos instantes da decisão: 


– Foram jogos diferentes. Lá na arena o Cruzeiro encaixou três bolas e fez três gols. No segundo tempo buscamos o empate. O jogo de hoje foi mais truncado, até pelas estratégias impostas em campo. Sabíamos que era um jogo para se arrastar até o momento certo. Porque é uma decisão, você não vai ganhar essa decisão no primeiro minuto – explicou.


– Protegemos a equipe um pouco mais, fomos abrindo ao natural. Dentro do que planejamos estava tudo perfeito. O Cruzeiro não criava chance de gols. Aos poucos fomos abrindo a equipe e chegamos ao gol. Tínhamos o jogo controlado. O Cruzeiro tinha o campo, mas não estava nos dando sufoco. Não foi um sufoco em que o Cruzeiro achasse, merecesse fazer o gol. Tanto é que em uma jogada casual fez. Faltou um pouco de maturidade, pra saber sofrer no final do jogo – completou Cuca.


O treinador ainda lamentou muito a oportunidade perdida por Egídio pouco antes do gol da Raposa - o lateral acabou tomando a decisão errada e desperdiçando um contra-ataque que poderia ter matado a partida. 


Cuca Palmeiras 2017

– Eu só sinto porque a gente teve chance de matar o jogo. A ocasião da jogada, o contra-ataque. E depois, alguns momentos que tínhamos que manter a bola, gastar o tempo, nós nos desfizemos da bola. Isso aí pode ter ocasionado, um pouquinho mais, o Cruzeiro ter vindo para cima – concluiu. 


​​