Os torcedores do Fluminense, assim como jogadores e comissão técnica, não esquecem o já longínquo 3 de junho. A razão é simples: já são 50 dias sem vitória em casa pelo Campeonato Brasileiro. O último triunfo foi justamente contra o time de nome Vitória, lá na quarta rodada, por 2 a 1.



Dali em diante, foram sete compromissos sem saber o que é ganhar: empates contra Atlético-PR (1 a 1), Flamengo (2 a 2), Chapecoense (3 a 3) e Cruzeiro (1 a 1), além das derrotas para Grêmio (2 a 0), Botafogo (1 a 0) e Corinthians (1 a 0). Neste domingo, após perder para o líder da competição, em um jogo no qual o Flu até teve chances de, no mínimo, chegar à igualdade, o técnico Abel Braga tratou o fato como uma "coincidência". "Não tem explicação. Vamos levando", disse.



No entanto, há alguns fatos que ajudam a entender este momento. Lesões, como a do artilheiro Henrique Dourado, é claro que atrapalharam. Além disso, o time sofre com o baixo rendimento de alguns atletas e, também, como as constantes trocas no grupo - Wellington Silva foi para o Bordeaux- FRA, e ainda há o assédio a Richarlison e Léo Pelé. "Não reclamo dos desfalques e de ter que colocar jovens. Eles lutam por uma oportunidades e trabalham para um bom futuro", completou o comandante. O certo é que, com apenas 11 pontos somados nos últimos dez jogos, o Tricolor está apenas na 12ª colocação na tabela.