Uma das maiores promessas da base do Fluminense nos últimos anos, o atacante Michael passa por um drama pessoal. Com problemas de dependência química, o jovem jogador não aparece no clube há dois meses, desde que findou seu empréstimo para o Boavista.


Michael Fluminense 2017


Na prática, a diretoria tricolor não espera mais retorno esportivo do garoto. Ainda assim, mantém seus salários em dia - a ideia é ajudar que Michael consiga reconstruir a vida, ainda que longe do futebol. 



– O clube entende o momento do jogador e seu problema particular, e que ele está liberado até que consiga resolver a questão. Se Michael quiser voltar, as portas estarão sempre abertas e que todos torcem pela sua recuperação – afirmou o Flu, em nota enviada ao ​UOL.


​​