Copa Libertadores

5 vezes em que arbitragem revoltou rivais brasileiros na atual Libertadores

Lucas Humberto
Gols anulados, pênalti duvidoso e impedimento inexistente: relembre cinco vezes em que a arbitragem revoltou rivais brasileiros na atual Libertadores.
Gols anulados, pênalti duvidoso e impedimento inexistente: relembre cinco vezes em que a arbitragem revoltou rivais brasileiros na atual Libertadores. / Christian Alvarenga/Getty Images
facebooktwitterreddit

Se há Copa Libertadores rolando, podemos nos preparar para polêmicas frequentes, afinal, nem mesmo o uso do VAR impede decisões questionáveis da arbitragem. Pelo contrário, a ferramenta está costumeiramente envolvida nas maiores discussões.

Entre áudios divulgados, indiretas nas redes sociais e declarações acaloradas, relembramos cinco vezes em que a arbitragem revoltou rivais brasileiros na atual edição do torneio continental. Acompanhe.

1. Flamengo x Olimpia - ida das quartas de final

Na derrota do Olimpia ante o Flamengo, por 4 a 1, nada chamou mais atenção que a expulsão de Filipe Luís. Na jogada em questão, Arrascaeta foi derrubado, mas a arbitragem mandou seguir. Os uruguaios, então, armaram um contra-ataque, que foi interrompido pela falta do lateral rubro-negro, que recebeu o segundo amarelo.

O VAR, porém, chamou Fernando Rapallini para rever o lance do meia flamenguista. O árbitro acabou marcando um pênalti favorável ao Mais Querido e anulando a expulsão de Filipe Luís. Assim como os rivais brasileiros nas redes sociais, Sergio Oterman, técnico do Olimpia, desabafou durante coletiva: "É difícil analisar o jogo. Difícil falar do futebol com a vergonha que o VAR passou hoje. O presidente da arbitragem precisa analisa sua nefasta atuação".

2. Boca Juniors x Atlético-MG - ida das oitavas de final

González Boca Juniors Atlético-MG Copa Libertadores
González fez de cabeça, mas o tento foi anulado devido a uma falta no início da jogada / MARCELO ENDELLI/Getty Images

Sete minutos parado, clima tenso a árbitro suspenso. Assim podemos definir os acontecimentos do empate sem gols entre Boca Juniors e Galo, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. O lance polêmico aconteceu aos 34 minutos do primeiro tempo.

Na ocasião, Réver tenta tirar uma bola da área, mas acaba errando e cava a falta. González, que estava na disputa, aproveita a sobra para abrir o placar. Após tento validado, o VAR recomendou a revisão e a decisão da campo caiu por terra. Nem precisamos dizer que as redes sociais ferveram, certo?

3. Atlético-MG x Boca Juniors - volta das oitavas de final

Certamente seria um encontro tenso, afinal, o placar estava em aberto. No entanto, ninguém esperava outra decisão questionável da arbitragem. Desta vez, o gol de Weigandt não foi validado por um possível impedimento, assinalado pelo VAR.

Os árbitros da cabine informaram que o meia Diego González estava impedido e interferiu no movimento do goleiro Everson. Foi mais um episódio desta polêmica novela das oitavas de final.

4. Cerro Porteño x Fluminense - ida das oitavas de final

Episódio mais "inflamado" que os demais, o roteiro seguiu muito semelhante aos gols anulados na partida entre Boca x Galo. Contudo, nesse caso, a falha da arbitragem ficou mais evidente.

No lance em questão, o centroavante Mauro Boselli vai às redes, mas o VAR encontra um impedimento inexistente, visto que Samuel Xavier dava condições ao jogador adversário. A Conmebol afastou os árbitros, porém os rivais não perdoaram nas redes.

5. Universidad Católica x Palmeiras - ida das oitavas

No Chile, o Palmeiras aplicou 1 a 0 no Universidad Católica, em pênalti convertido por Raphael Veiga. Acontece que a origem da penalidade máxima causou discussões. No lance, Deyverson tenta cruzar, porém a bola bate na coxa e, em seguida, no braço do zagueiro Lanaro. Como há um desvio antes de tocar no braço, os rivais acusaram o árbitro de roubo.

facebooktwitterreddit