Opinião

5 melhorias que o Atlético-MG precisa fazer para voltar a vencer no Brasileirão

Lucas Humberto
Início irregular no Brasileirão faz Galo de 2022 repetir marca negativa do time comandado por Sampaoli
Início irregular no Brasileirão faz Galo de 2022 repetir marca negativa do time comandado por Sampaoli / Franklin Jacome/GettyImages
facebooktwitterreddit

Acabou o combustível? O Atlético-MG de 2022 não vive bom início no Campeonato Brasileiro. Com quatro jogos sem vencer, a equipe de Antonio Mohamed atingiu uma marca negativa que não se via nos corredores do Mineirão há mais de um ano e meio.

A última série de quatro insucessos aconteceu ainda sob comando de Jorge Sampaoli, em 2020. À época, o Galo empatou com Fluminense e Sport e foi derrotado por Bahia e Palmeiras. Para reencontrar o caminho das vitórias, é preciso melhoria. E é sobre isso que falaremos a seguir.

1. Consistência defensiva

Everson Atlético-MG Atlético-GO Brasileirão
Meta de Everson está sendo constantemente vazada / Pedro Vilela/GettyImages

Curiosamente, a última partida do Brasileirão que o Galo terminou sem sofrer gols foi também sua última vitória. Na ocasião, Zaracho marcou o único gol da vitória alvinegra diante do Athletico-PR, na Arena da Baixada. Desde então, foram quatro partidas disputadas e sete tentos sofridos. Não dá para ser campeão sem uma linha defensiva de qualidade.

2. Eficiência ofensiva

Zaracho Atlético-MG Brasileirão Atlético-GO
Galo aparenta ter perdido ímpeto de gols / Buda Mendes/GettyImages

Talvez a principal marca do Galo de Cuca tenha sido a ofensividade singular. Segundo melhor ataque do último Brasileirão, o Atlético-MG costumava punir seus adversários. Hoje, ainda não dá para falar em ineficiência no setor, contudo, a equipe parece ter perdido o apetite de gols de apenas alguns meses atrás. E isso pode ser muito perigoso.

3. Alternativas táticas

Atlético-MG Brasileirão Atlético-GO
El Turco precisa mostrar mais variação / DOUGLAS MAGNO/GettyImages

Encontrar culpados por uma má fase generalizada é o caminho mais fácil, mas nem sempre o mais justo. Antonio Mohamed, que já começa a sentir a pressão do futebol brasileiro, pode não ser o grande vilão, mas precisa mostrar mais variação tática e capacidade de se adaptar ao que o adversário propõe. Sem isso, as derrotas certamente virão.

4. Capacidade de reação

Atlético-MG Atlético-GO Brasileirão
Galo não está sabendo segurar os placares / DOUGLAS MAGNO/GettyImages

Dá para emplacar bons resultados sem conseguir segurar placares? Praticamente impossível, certo? Em dois dos quatro tropeços do Galo no Brasileirão - contra Coritiba e Goiás -, o roteiro foi o mesmo: esteve em vantagem, perdeu ímpeto e levou o empate. Diante de dois adversários menos expressivos financeiramente, diga-se de passagem.

5. Falhas individuais

Atlético-MG Atlético-GO Brasileirão
Godín não está agradando a torcida / Pedro Vilela/GettyImages

Falhas de Diego Godín, Jair aparentando estar pesado, Zaracho com pouca eficiência, Nacho sem fôlego para compor a marcação... em linhas gerais, quase todos os setores do Galo apresentam algum problema sério. Aos poucos, as peças tendem a se acertar. Acontece que esse tempo perdido pode fazer muita falta nos próximos meses.


Atlético-MG e Atlético-GO medem forças neste sábado (14), às 19h de Brasília, no Independência. A partida é válida pela sexta rodada do Brasileirão. Neste artigo você confere todos os detalhes acerca do confronto.

facebooktwitterreddit